quinta-feira, abril 17, 2008

Desfiando fios...

Ontem...

Professora, professora!
Uma amiga sua veio ao meu blogue fazer um comentário e dizia bem do blogue e de eu gostar de escrever e para eu corrigir os erros como a professora também me diz e eu ainda fiquei com mais vontade de escrever mais ainda e muito melhor ai fiquei tão contente! Professora, ontem já fiz como disse, estou a começar a escrever primeiro no word para o corrector me ajudar e só depois copiar para o blogue!
Sem respirar pelo meio... como eu faço. Apanham-me todos os tiques. Não sei se este modelo agitado que ofereço de alegria pela vida e entusiasmo acelerado será dos melhores... mas pronto... é o que é e eles que aproveitem de mim o que quiserem! Ai Emília! Esse teu Amor que se estende dos teus para tantos outros meninos. Essa tua missão de vida... esse teu exemplo... Só posso agradecer-te o bem que lhes fazes...
Imagino os professores da turma com um bocadinho mais de tempo para poderem ir aos blogues destes meninos e oferecer-lhes um bocadinho mais de feedback, tão (comprovadamente) importante nestes processos de crescimento. Eu tento ir aos blogues, projectos scratch, estar em cima do acontecimento, mas é tão difícil acompanhar tudo, ser para eles tudo aquilo de que precisavam para avançar mais rapidamente...
Para quando uma escola mais humanizada? A possibilidade de um atendimento mais individualizado? Estas crianças são outras. Não somos nós com a idade delas. Vivem num mundo que os acelera em certas direcções e lhes deixa tantas falhas de preparação pelo caminho noutras fundamentais.

A minha Bia,muito feliz, respondeu à Emília dizendo que ia "imendar" os erros........

Tal como com o meu Kiko das borboletas (ai Kiko, o que tens crescido na tua escrita! Quem te lia e quem te lê...), fica claro que o blogue será um instrumento fundamental para a fazer avançar no domínio da língua materna... e já começámos a tratar disso hoje em Estudo Acompanhado que partilho com a professora de Língua Portuguesa (também apaixonada por tecnologias ao serviço de algo com sentido). Apenas um computador velho e um projector, para além do computador pessoal dela (já sabem das misérias... e, mesmo assim, para ter isso foi preciso desalojar outra turma daqui para o nosso barracão do jardim sem 'net wireless e sem nada).

Emilia Miranda disse... Olá Gabia!Mas que contente que eu fiquei ao ver e ler como gostas de escrever. Sabes uma coisa? Eu conheço a tua professora de Matemática e vou dizer-te um segredo. Não contes a ninguém pois é um segredo: "Se todos os meninos e meninas tivessem professores de matemática como a tua professora, TODOS e TODAS gostariam muito dessa disciplina e de algumas outras, como por exemplo, língua portuguesa!"Eu também sei que a tua professora te dirá que te esqueceste de colocar alguns acentos em certas palavras e que trocaste a grafia de algumas. Claro que irás corrigir todas essas falhitas, não é verdade?Um abraço,Emília
7 de Abril de 2008 10:54
Gabia disse... Obrigado! E é certo que vou imendar
15 de Abril de 2008 9:58
3za disse... Bia!!!!! EMENDAR!!! Ai ai! :) Eu sei que vais corrigir tudinho.... Beijinhos
17 de Abril de 2008 1:12

Missão de ontem nessa aula?
Reflectir sobre a escrita, aproveitando os blogues. Analisámos alguns textos (a turma lê e identifica erros, falhas, oferece sugestões), fizeram-se algumas correcções, a pedido de muitos mostrou-se como inserir links na coluna lateral e no blogue do Manuel iniciou-se já o esboço de uma coluna chamada recursos Scratch... Ele queria muito... também se corrigiram alguns erros. Eles estão ávidos e temos de contagiar os que vão mais devagarinho.
Estudo Acompanhado? Sim. Alguém estuda eficazmente se não aprender a decifrar textos? Se não aprender a fazer uma síntese e a escrevê-la sem erros? Alguém avança no seu crescimento pessoal sem reflectir sobre as suas dificuldades? Sem estabelecer planos e estratégias para as ultrapassar? Sem aprender a utilizar recursos tecnológicos que possam ser úteis na busca de informação nova ou na partilha das nossas reflexões sobre o mundo? Pois...

Já hoje, depois de uma ronda... dei com esta entrada do Manuel feita ontem à tarde:

Professor dos professores
Hontem mais uma vez fui ensinar professores a trabalharem com o scratch, o professor que me calhou era muito curioso e perguntava tudo e mais alguma coisa, tantas coisas que ele perguntou que algumas nem eu sabia mas desenrascava-me.O meu aluno perguntava como se metia a personagem a falar, como se faziam contas, como se arredondavam números, como se punha a personagem a andar...No fim da aula nós os alunos professores durante aqueles 45 minutos, ajudá-mos a s'tora a arrumar a sala e no fim estivémos a contar como tinha sido e o que tinhamos ensinado, no fim ensinei a fazer o referencial cartesiano e ainda aprendi a trabalhar com o «excel».Foi assim a aula que démos ontem.


Deixei comentário com correcções...

... no blogue Manuel e no da Bia:

Sem título

3za disse...
Ai Bia!!!!!!! Oiçam!!!!!!!!!!!! e não "oição" ... Escreve sempre no word para evitar estes erros!!!!! Beijinhos
17 de Abril de 2008 1:10
3za disse...
Ai! Na coluna lateral "As minhas músicas parferidas" tem um erro! PREFERIDAS e não como escreveste. Beijinhos.
17 de Abril de 2008 1:30

Desabafo: transformados em funcionários que fomos... alguém acredita que estes problemas graves com a língua, os problemas com a matemática, se vão resolver melhor daqui para a frente com professores exauridos de correr de tarefinha em tarefinha na escola, gastando nela horas estéreis só para que se poupem uns tostões e o ATL esteja de serviço muitas horas? Sei bem do desencanto instalado, da falta de paciência e vontade gastas em reuniões, substituições e outras invenções para nos manter presos à escola, sem gabinetes, equipamento ou condições, nas horas em que devíamos estar a trabalhar realmente em prol dos nossos alunos, ou a reflectir sobre o nosso trabalho, ou a aprender como fazer melhor e a ajudar melhor os alunos...
Preparem-se para uma geração de adultos cada vez mais desmotivados, amorfos e incompletamente formados.
As crianças mudaram... a escola em vez de acompanhar a mudança, ajustando-se às suas necessidades de um companhamento muito próximo, desumanizou-se, passou a ser ainda mais a corrente de massa anónima, muitas turmas, muitas disciplinas, muitos alunos por professor para ficar assim tudo bem à superfície e no fim se lavarem as mãozinhas... A culpa será sempre nossa. E morrerá solteira porque nós aqui continuaremos e os de cima terão passado à história, sem que se tenha avaliado qualquer resultado das suas acções... Outros virão, apontarão dedos, afirmar-se-ão novamente salvadores da Pátria e inventarão mais umas coisas para corrigir o incorrigível ou continuar na mesma linha economicista que afastará rapidamente os professores mais motivados e experientes da escola pública, com reformas precoces ou mudanças de cenário para o privado e outras áreas. Lamento o futuro que se avizinha. Não foi para isto que me mantive fiel à escola pública, aos meninos, rejeitando outras possibilidades e ofertas.

Quanto mais tempo para alguém ver a luz e perceber a gravidade da situação?

Custa-me estar a viver numa Escola onde agora apenas sou feliz quando fecho a porta da sala de aula e respiramos, eu e eles, o mesmo ar, esquecendo tudo o que fica do lado de fora...

3 comentários:

Luis disse...

"O Futuro"
José Carlos Ary dos Santos

Isto vai meus amigos isto vai
Um passo atrás são sempre dois em frente
e um povo verdadeiro não se trai
não quer gente mais gente que outra gente
Isto vai meus amigos isto vai
O que é preciso é ter sempre presente
que o presente é um tempo que se vai
e o Futuro é o tempo Resistente
Depois da tempestade há a bonança
que é verde como a cor que tem a esperança
quando a água de Abril sobre nós cai
O que é preciso é termos confiança
se fizermos de Maio a nossa lança
Isto vai meus amigos isto vai.

Envio este poema para alegrar o teu dia, um poema cheio de garra e esperança.
Venho sempre aqui á tua teia para me inspirar, procurar um pouco da magia que tu ofereces aos teus meninos.
Hoje o teu optimismo está coberto de nuvens negras. Que pena que estajam a desestabilizar e desmotivar desta maneira os professores.
Devem ter sido as chuvas de Abril que apanhas-te que te fizeram ver o dia mais cinzento e menos colorido. O Maio já está quase a chegar.

emd disse...

Se custa…
Mais ainda quando descobrimos um brilhozinho nos olhos duma M (com muito pouco-quase nada em casa, cheiinha de “dificuldades” na aprendizagem) por já poder aceder à LPO virtual e, assim, entre aprender e jogar, ocupar as horas vazias na escola.
Tanto para fazer… e não é por falta de vontades que não se faz.
Que o dia de hoje tenha sido de brilhos, apesar do céu cinzento.

3za disse...

Obrigada pelo vosso ânimo e palavras! Já sabem que o saldo é sempre positivo, ou não teria resistido até aqui. Mas também sou realista e há momentos em que apetece chamar as coisas pelos nomes. Enfim... uma poesia com pelo menos um dos pés no chão: por um lado não deixar de acreditar na magia e deliciar-me completamente com tudo o que de bom posso fazer, por outro não baixar os braços e apontar as fragilidades para que se possa ir caminhando no sentido das correcções. Não é um equilíbrio simples, mas é necessário.
E o Sol está já a caminho! :)
(Só que em Abril... chuvinhas mil!)
Abraço