quarta-feira, abril 09, 2008

Das coisas boas da escola 3

A professora de EVT da turma do 6º ano (muito) entusiasmada com aquela ideia que tivemos de levar os alunos de 6º à turma de 5º dela para os ensinar a trabalhar com o scratch. Ai eles estão desejosos! Já lhes falei...
Combinámos. Sim, falo com os do 6º para perguntar quem quer e pode.

Falei. Tudo combinado. Já tenho muitos voluntários!
Uma das voluntárias informou-me que a mãe, professora de informática numa escola secundária, a quer levar lá para ela ensinar aos crescidos como se trabalha com o scratch...
Brinquei:
nós somos os missionários do scratch e estamos a espalhar a palavra...
Sorriram.

(Aqui entre nós, isto dava uma comunicação gira na Conferência Scratch do MIT onde irei em Julho: Scratch:Spreading the word... Tivesse eu mais tempo e "mais ousadia"... É que realmente está a acontecer um certo fenómeno de criação de uma cultura scratch... e poderia ser curioso falar sobre os mecanismos que tenho usado, muitos intuitivamente, outros que escapam ao meu controlo e sem planeamento ou previsão - umas coisas arrastam as outras... enfim... pára menina! Como se não tivesses mais nada em que pensar!)

Saio da última aula com o 6º ano e sou abalroada por três meninos pequeninos (que conheço de vista, mas não são meus alunos):
Professora, professora!!!!
Como é que a gente trabalha com o scratch? É que acho que já descarregámos!
Vocês são.... os alunos da professora P.? (Eles conhecem-me de vista pois, no âmbito do mestrado, fui a todas as turmas do 5º aplicar um questionário e tive ocasião de estar uma hora com cada turma.)
Sim!
Ah!!!!! Isso é que é entusiasmo! Os meus meninos do 6º um dia destes vão à vossa aula! Olhem... quando descarregaram, apareceu um gatinho no ambiente de trabalho?
Hummmm não sei....
É que tem de aparecer! Depois clica-se e abre-se o programa!
Oh!!! Um virou-se para os outros...Deve ser aquela coisa em que aparecem as três coisas ao alto!
Isso mesmo! Então já sabem entrar... Agora, se quiserem ir começando, à esquerda têm as instruções, no meio a panelinha onde cozinham os programas e à direita o resultado do que vão fazendo...
Sorrisos...
Então vá... vão experimentando e depois terão ajuda dos meus alunos do 6º ano!
Vou almoçar mais tarde. Mas isso não me incomoda.
Incomodar-me-ia ir almoçar mais tarde se tivesse estado a fazer uma parvoíce qualquer sem sentido, a preencher um qualquer papel para coisa alguma. Aborrece-me a inutilidade dos gestos. Eu gosto é de sementes...

Não devia ser permitido por lei aos professores gastarem tempo com coisas tontas que não revertessem a favor dos alunos...

6 comentários:

JMA disse...

Devia! Desafio a tua escola a adoptar essa norma no RI! E desafio quem quer que seja a ir lá incomodar-vos (provavelmente estarei a sonhar.) Mas como diria Pessoa, que seria o Homem se...

3za disse...

:)
Por enquanto andam um bocadito ocupados com papéis... Mas sei que um dia todos veremos a luz! (Estaremos a sonhar? Não... nada como acreditar para conseguir...)

Emília disse...

"Não devia ser permitido por lei aos professores gastarem tempo com coisas tontas que não revertessem a favor dos alunos...", dizes tu Teresa e eu concordo plenamente mas, para que isso acontecesse, essas leis teriam de ser feitas por "não tontos"!
Um abraço,
Emília

3za disse...

:) como tens razão... Abraço!

Fernando Vasconcelos disse...

Não sendo professor, pelo menos nunca o fui no seu nível etário confesso que me faz muito bem ver tudo o que faz para ensinar. É uma pausa de tranquilidade que não tem preço. Claro que o que faz pelos seus alunos terá frutos mais tarde. Por agora fique ciente que os ajuda a eles e também mais uns quantos como eu (muitos certamente) que encontram nestes posts a certeza de que nem tudo está mal.

3za disse...

Obrigada, Fernando!
Essa é também uma das intenções: desocultar as coisas doces que acontecem na escola... :)