terça-feira, outubro 28, 2008

Sempre mais longe...

Antes de ir ali para o cantinho ver uns testes... (começar a vê-los) tinha de dizer que o essencial do problema de que o clube Scratch time vinha sofrendo está resolvido.
Menos uma fonte de stress. Os alunos estão felizes e eu fiquei feliz por eles.
Enquanto o Plano Tecnológico promete, promete, mas não chega... a escola já conta com dois linksys meus em jeito de empréstimo, para ir resolvendo problemas... um para termos net sem fios no bloco do 2º C (esse comprei de propósito há dois anos) e outro que tinha aqui em casa (depois da mudança para novo sistema) que acabou por ser a solução do famigerado problema do proxy (pelo menos nos portáteis... nos fixos o problema subsiste) que não deixava passar os projectos Scratch para a plataforma internacional.
A sugestão do responsável (pessoa cuidadosa, empenhada e interessada em ajudar a resolver a situação) de criar uma outra rede paralela com acesso directo à net, sem passar pelo proxy, foi preciosa. Lá levei o aparelho para o bloco A e... agora sim, portáteis arranjadinhos com carregadores novos, 'net à maneira que não faz conflitos com o Scratch, tudo magnífico hoje lá para a salita dos portáteis.

Por que é isto importante?
Explico.
O grupo de terça (Geração Best - Turma B, a tal muito muito multifacetada...) já passou os 20 alunos no clube... em boa verdade, acho que daqui a uma semana só uma aluna não frequentará o Clube... São entusiastas, trabalham com sorrisos e gostam de aprender coisas novas.
Muitos deles têm de vir para escola mais cedo e ter clube às 10 horas foi a solução para evitar que passem a manhã por ali até terem aula de Matemática comigo às 11:45. (A primeira aula dou-a às 8:15 aos meus doces GêTês: os Scratchers veteranos que têm clube às sextas.... Às quintas, tenho no Clube os meus pintaínhos da turma E, que não é minha, que correm atrás de mim pela escola chilreando com as novidades dos projectos novos que vão construindo em casa).

Voltando à Turma B... estamos três horas juntos em cenários diferentes.
Mas o carinho e a ligação reforçam-se e transitam. Isso faz toda a diferença.
Podiam optar por ficar na rua... mas aparecem todos os dias à porta... e gosto de os acolher bem.

Hoje no clube perguntei se desejavam aprender um bocadinho sobre coordenadas cartesianas, de forma a poderem explorar melhor algumas possibilidades do Scratch... Aceitaram o desafio... e dei uns minutos de aula de "sétimo ano" a alunos de sexto...

Agora aguardo os projectos com recurso "ao x e ao y".

Não... o Clube não é uma brincadeira... é um espaço onde estas mais que 20 crianças aparecem à terça porque querem... trabalham... aprendem a funcionar em grupo, a colaborar, desenvolvem a fluência tecnológica, trabalham conteúdos curriculares e outros, lêem, escrevem, falam, resolvem problemas, procuram ir mais longe, sempre mais longe, até no conhecimento Matemático.

Se são as TIC o motor? Não creio.
O Scratch é motivador... mas é o sentido da tarefa, o desafio constante, este carinho, estes fios condutores de respeito e estímulo, o que mais deve contar na hora de decidir estar presente, mesmo sem que ninguém lhes marque faltas... mesmo se for para falar do referencial cartesiano... mesmo quando as condições não são as melhores. Por isso hoje foi bom oferecer-lhes este presente.
(Em paralelo, nas aulas de AP, seguem os ensaios, poemas, canções em várias línguas, a animação é grande e tudo se completa... as TIC são uma porção do trabalho, não o todo.)

O Clube já tem cerca de 50 crianças nas três sessões... pena tenho é de não ter para elas o tempo que merecem, o tempo que a actividade mereceria, pelo interesse que desperta, para suporte, apoio e acompanhamento de todos os trabalhos (fora do espaço do Clube). Muito mais se aprenderia. É que eles gostam tanto de comentários, de sentir que alguém acompanha os seus progressos, alguém se interessa, alguém os provoca... (obrigada ffred pelo apoio e presença constantes junto deles sempre que não consigo!)
Talvez um dia regresse a magia à escola e o tempo que nos permita chegar mais longe. Sempre mais longe.

Para já ainda estamos na fase da subtracção e das arrecuas às cegas.

3 comentários:

Girafa cor de rosa disse...

Espetáculo...voltarei para ler com mais atenção...para a semana que vem entro tb nos rótulos. Pedi-lhes que levassem rótulos (para 1 dos trabalhos a realizar) e ementas (outro trabalho) constituídas pelas refeições que eles ingeriram ao longo da semana..pensei ser uma boa base de discussão. Gostaria de fazer um portfólio da turma com este tipo de trabalhos, acho uma boa ideia, para que fiquem satisfeitos com o trabalho realizado ao longo do ano. Muito obrigada por tantas EXCELENTES PARTILHAS!! É tão bom quando encontramos alguém disponível para partilhar desta forma. Bjs.

Girafa cor de rosa disse...

P.S. O comentário era para o post da análise dos rótulos!! Peço desculpa:-)

3za disse...

:) Eu percebi...
Os meus fizeram um diário alimentar (mínimo de 15 dias) e agora terão de fazer uma análise crítica, com base no que aprenderam, apresentando o diário e o relatório.
Obrigada pelas tuas visitas e palavras! Beijinho