terça-feira, outubro 28, 2008

Pisar o dia desde muito cedo...

... bem devagarinho (a fingir que não é preciso correr).

Apetece-me escrever poemas longos e histórias compridas, apetece-me um piano, apetece-me brincar com tintas num papel, apetece-me fechar portas, abrir portas, inventar personagens, apetece-me isto de dizer que me apetece qualquer coisa até a palavra apetecer ficar com um som incompreensivelmente estranho e depois, afinal, apetecer-me apenas fazer o que tenho de fazer por não saber exactamente ser eu como me apetece ou saber sequer o que me apetece apetecer-me...

Ou, talvez,


podias 'tecer-me uma canção?

(Just for me?)

2 comentários:

henrique santos disse...

Por dentro da prosa

Um poema assim tecido
por dentro da prosa.
Teia tão bem conseguida
num tempo sem tempo.
Em demonstração devida
que o "tempo é um templo"
onde se apaga o olvido
num poema assim tecido
por dentro da prosa.

3za disse...

:)