quinta-feira, dezembro 18, 2008

De sol a sol...

... com bons momentos e também muito frio nas aulas, claro... (um conselho de ministros nas nossas salinhas geladas, no meio de miúdos com frio, inspiraria talvez melhor algumas decisões)

Muito muito Scratch... entusiasmo e produção densa.
http://scratchtime.blogs.sapo.pt/11932.html

Blogues das turmas activos e partilhas várias. Promessas de Natal, de contactos, de pedidos, de partilhas... verei o que acontece e quem me vai "chamar" neste período não lectivo onde tentarei colocar ordem no meu próprio trabalho.

Eu cada vez mais pequena para tanta solicitação, tanto desejo de tantos de avançar e aprender cada vez mais... Enfim...
Vou à velocidade possível, mas ficaria muito contente se tivesse condições para melhor... Vícios de querer sempre muito mais e não me contentar com a miséria do pouco.

E é melhor parar por aqui.

Destaques de hoje?

O projecto da Catfilpa (TG) com quem consegui estar um pouco mais de tempo trabalhando na correcção do seu projecto fracções (que sofria de vários problemas). Aprendeu a utilizar o "broadcasting" e toda ela é sempre uma cascata de ideias, uma atenção aos pormenores, uma concentração a toda a prova, um entusiasmo que só vivido ao lado dela. Diz ela que não gosta e tem medo de resolver problemas e que não é boa nisso... Pois... é como se vê a si própria... Quem a vê trabalhar em programação e assiste ao empenho no trabalho para vencer as inseguranças, não diria. Utilizou
o tutorial para aprender autonomamente o que fazer e levou a orientação mais longe: "professora, eu usei três trajes em vez de dois para parecer que se via a cruz e o certo a serem desenhados mais devagar"...
Não consigo descrever fielmente o entusiasmo... aguardo agora as futuras aplicações dos comandos que hoje aprendeu com tanta facilidade.

Scratch Project

Destaque também para (na TB) o projecto da Nuria e da Diabinha (importante por todas as razões e sorrisos - os da Nuria e os da Diabinha que precisa muito de "abrir" e de desenvolver o pensamento), que implicou programar cada floco de neve (foi um pedido delas, que queriam ver a neve a cair) recorrendo ao referencial cartesiano (o primeiro contacto... não aprofundei ainda, deixo-os familiarizar-se com o x e o y - matéria de 7º ano e não de 6º- para mais tarde aproveitar a onda e introduzir os conceitos antecipando-os)... aos efeitos de cor, à interactividade (quando "sprite clicado")... Qual não é o meu espanto, quando chego lá para verificar tudo antes da publicação e me contam que resolveram usar o comando repete (ciclos) para que a neve caísse muito mais vezes. Efeito lindo. Não me tinha ocorrido... A elas sim... É esta a magia da criação.
No final a Nuria dizia que queria fazer scratch no Natal. E eu perguntei: tens net? Ela: Não! Mas eu peço prima. Então, respondi, vou dar-te o meu endereço e se fizeres projectos envias-me uma cartinha a avisar! Dei-lhe papelinho. Eu não sei, eu pergunto prima. Os olhos rindo, rindo...

Scratch Project

Há lá Natal melhor que este que trago hoje para casa preso ao coração?
Estivemos 26 nesta turma, durante quase duas horas e meia seguidas (alguns deles nem quiseram fazer intervalo entre Área de Projecto e Ciências e fiquei na sala com eles), naquele que era o último dia, as últimas aulas do ano, trabalhando afincadamente nos projectos, no blogue da turma... escrevendo, pensando, calculando... Finalmente a A, da Ucrania (ainda muitas dificuldades de dicção e compreensão) trouxe um projecto iniciado em Scratch e esteve a treinar a leitura de fracções (gravando-a no seu projecto - árvore de Natal com fracções penduradas em bolas coloridas) porque não é nada fácil para ela dizer os nossos números... Foi ajudada na leitura por outra colega da turma. As instruções do Scratch em Russo (o programa pode trabalhar até com caracteres chineses) ajudam-na a fazer a transferência para a nossa língua... (no MIT pensa-se no mundo... pensa-se global... gosto da humanidade e simplicidade com que abordam as questões da educação...).

O resto?
Mesmo evitando falar (tantos a falar melhor que eu) não esqueço. E não encontrei razões ainda para mudar o caminho que tracei até aqui, desde que o ECD de má memória foi aprovado. Digam o que disserem de mim, pouco me importa. Sei da minha razão. Trabalho muito, entrego-me por completo. Não me revejo neste modelo de carreira nem nas consequências que trouxe. A única arma que possuo é a coerência, a que não chamo teimosia. Já o disse a vários: é convicção e não se altera ao sabor de remendos nem de opiniões externas. Já tomei decisões bem mais complicadas do que as que terei de tomar agora.
Sei exactamente por onde vou.
Em defesa deles, os meus "miúdos" que são quem mais prezo, e da escola que alguns tentam que seja cada vez menos escola e mais qualquer outra coisa que não reconheço. É uma questão de princípio. Diferenciação séria. Não esta coisa ao sabor da roda da sorte que determinará a sorte de outros pares sem se perceber por que razão estão uns num campo e outros noutro. Desculpem este meu desgosto pelos jogos de azar... Este meu não reconhecimento da autoridade de quem vai avaliar por considerar que o processo que os titulou não é sério nem credível.
E sei que não vou por aí...
E sei que terei companhia no caminho.
Sei.

E sei que um dia uma certa luz e ordem regressarão. A certa e fiável exigência. Não o ferro quente para marcar sem mudar nada do que precisa realmente de ser mudado na essência do acto educativo e da escola.
Apesar de tudo, optimista. Não, não é de ser Natal.
É mesmo esta planta verde que insiste em não morrer dentro de mim, porque ainda lhe não faltou nem água, nem minerais, nem sol... esses "meus" miúdos...

2 comentários:

Adriana disse...

Tua energia é vibrante.Me contagiou a tua vontade e teu entusiasmo com os alunos.Assim precisamos ser no dia a dia, de sol a sol.

3za disse...

Sempre sempre de sol a sol! Obrigada pela visita! :)