quinta-feira, maio 15, 2008

Concebendo, planeando, crescendo...

Muitos preferem construir os projectos directamente no computador, sem plano, experimentando, avançando, recuando, introduzindo novas ideias a partir dos erros..
Mas na última aula (ontem) de Estudo Acompanhado dei com estes dois "engenheiros" planeando um novo trabalho com pormenor (tal como haviam feito para o projecto do caracol, ainda não concluído - a seu tempo divulgarei, pois é um dos mais elaborados da turma).
Porquê EA?
Porque terminou a unidade da água em Ciências, porque se avizinha uma ficha de avaliação, porque aproveitam o projecto para rever/estudar aspectos ligados à poluição, juntando mais tarde à avaliação um trabalho facultativo sobre o tema. Porque para o elaborar é necessário (como se pode ver nas fotos) ir procurar a informação necessária... ler, seleccionar, resumir, reescrever... Os gestos foram deles, apenas captei, perguntei. Porque o que vai acontecendo alimentará reflexões, que podem ser ancoradas na literatura sobre estas questões... Sim, o mestrado sempre presente (e a teia a dar-me uma mãozinha no registo de observações e memórias).
Não me interessa o pretexto que leva a esta dedicação, a este crescimento. Acho sempre magnífico quando a iniciativa parte deles e os vejo a seguir com autonomia crescente os passos necessários...

O trabalho e o estudo ganham outra dimensão, enchem-se de sentido, são úteis pelos conteúdos aprendidos, pelas competências que desenvolvem em várias vertentes.
Estamos, pois, no bom caminho.








Por entre outros trabalhos, e como temos apenas um computador nesta sala ligado à internet, peço à Cisne que actualize o blogue da turma colocando nela o seu projecto com um pequeno texto. Depois o mesmo pedido à Sara. Aos poucos passo a pasta (nunca o fiz no quinto ano... mas a evolução deles tem sido imensa e muitos estão já prontos para estas actividades que passam a ser da sua responsabilidade). O professor não pode fazer esse trabalho eternamente. Primeiro porque o tempo não é suficiente, depois porque é indispensável que sejam os alunos a fazê-lo, desenvolvendo a sua autonomia e a fluência tecnológica. Fico às vezes de longe a observá-los fazendo tudo isto: abrir várias janelas, copiar códigos html, escrever texto no blogue, publicar... uma desenvoltura que não estava habituada a ver em alunos tão jovens.
A blueangel havia pedido ajuda para inserir algo na margem lateral do blogue individual. Combinei que em EA resolveríamos a questão. Chamei a Bia... és tu que a vais ajudar. Não era a professora? Perguntou a blueangel. Eu disse que em EA resolveríamos a questão, não disse que te iria ajudar.
Em pouco mais de cinco minutos a questão ficou resolvida e a blueangel com a competência dominada.
Gosto dos sorrisos deles.
Os sorrisos que se seguem às conquistas...
Não são nada diferentes dos meus. Dos de todos nós.

2 comentários:

Carmo Cruz disse...

Teresa do Lindo Nome, gosto de inventar "provérbios":
quem espera que peçam para dar, não dá, vende por alto preço;
depois de saber não se pode ignorar;
E o meu preferido: Que Deus te acrescente e a mim não me falte.
Pois, minha Querida, tu tens tanto, tanto, de coisas que não se compram com dinheiro, porque não há dinheiro que as pague, que me apetece dizer-te, como se fosse uma oração: "Que Deus te acrescente e a nós não nos falte".
Tenho um imenso orgulho em conhecer-te assim, por dentro. Um beijo da Carmo

3za disse...

Ai Carmo! Um imenso obrigada por esse carinho espelhado em tantas palavras bonitas que me dedicas. Que recebas sempre muito mais do que o tanto que nos dás... Beijinho.