quarta-feira, maio 21, 2008

Estado de choque 2 (da desimportância dos alunos)

Ora bem.
Importante importante é fazer provas e haver quem as corrija.

Já sei que a primeira reunião numa escola de Setúbal (a uns quilómetros daqui) para os castigados com a sorte (de andarem às voltas com 60 provas a 32 perguntas cada... portanto, corrigir/classificar 1920 respostas) vai ser exactamente em cima do meu Scratch time (dia 26) com os meninos do 5º (o único dia em que podemos ter esse tempinho para nós nos computadores para avançar no trabalho) e... ao, que parece, nem o apoio de matemática do 6º ano vou dar nesse dia. Se tiver de haver mais reuniões... não sei como vai ser. Acresce que esse meu dia começa... às 8 da manhã e terminará lá pelas 19 e tal... 20 com a viagem para casa... sem falar de mais alguma reunião e do tempo para correcções, o que sobrará para realmente fazer um trabalho adequado com os meus meninos enquanto durar a festa? Já nem falo do mestrado... No dia seguinte terei de me levantar bem cedo para mais um dia de aulas inteiro... e depois?........

Tolice minha...
Já me havia esquecido que todas as medidas têm partido sempre do pressuposto da desimportância do aluno em prol de mais trabalho de funcionário (o que sai mais barato, já que o vencimento não se altera) muito poucas horas para o que interessa, a bem da poupança nacional... e total desajuste entre o que é exigido e o tempo real e legal atribuído para que as tarefas possam ser realizadas com qualidade. Em suma...
Assédio moral no trabalho?

15 comentários:

Herr Macintosh disse...

Proponho que se mude o nome do ministério que tutela as escolas (repara que não disse educação) passe a ser Ministério da Estatística e Burocracia Extrema. A malta do ministério não é lá muito dessa coisa de ensinar. Aquilo é mais do género: "Eh, pá! bora lá fazer umas provas e depois escolher uns gajos daqueles zecos qu'é pra eles até andarem de lado qu'é pra verem o qu'é bom pa tosse!".
Lá na escola os correctores de português são (de uma forma perfeitamente aleatória, tá bom de ver) os mesmos do ano passado. Bolas! Há horas de sorte, pá!

3za disse...

Só a lotaria, o totoloto e o euromilhões é que não batem à porta........ Ai que jeitinho dava! Enfim........

IC disse...

Várias questões da prova de aferição do 6º ano (mat) são ao nível das que vejo em TPCs da minha neta (4º ano). Espero que, depois de corrigires, deixes um parecer sobre a prova e o desempenho dos alunos da tua amostra. Estou curiosa.
Mas compreendo-te bem: Pois se eu fico várias vezes em estado de choque só com o que ouço e leio desse "Ministério da Estatística e Burocracia"! E sou tão, tão avessa às coisas inúteis, sobretudo quando prejudicam o tempo para o que é importante, que nem concebo como andaria e o que faria se estivesse neste momento na escola.
Talvez as reuniões para os correctores pudessem ser aproveitadas para deixar protestos (?) - ou, se calhar, não seriam transmitidos.
Enfim... Ânimo é o que posso desejar-te (e tu consegues sempre arranjá-lo).
Beijinhos

EMD disse...

Se serve de consolo a alguém, nós do grupo 300 estamos assim: términus do ano lectivo a vários tempos (um para os anos de exames, 9º-11º-12º, outro para os 7º-8º-10º, Cesfs, Efas e Profissionais cada qual com o seu fim e… ainda… RVCC); processos de avaliação final em todos; exames finais nacionais daqui a um mês ( = Rankings!!!!); exames (matrizes, critérios e cenários de resposta, com variantes) a nível de escola para salvar uns; exames extraordinários (?), 29 de Maio (!!!), (critérios de correcção e cenários de resposta, com variantes), para salvar outros; actividades dos clubes e relatórios; e relatórios de grupos e departamentos; e relatórios de DT, e do PAA, e do Projecto Curricular de Turma, e da Área de Projecto, e das Aulas de Substituição…
E ainda não começou a avaliação de desempenho!ah! Ah! Ah!
Com tanta papelada não se enxergam os alunos… nem os professores!
uf!... Bei... uf!... jo...uf!

3za disse...

IC... pois. Só ainda não comentei a prova porque não a corrigi com os meus meninos (amanhã). É que todos me dizem que acharam fácil e eu, pelo que vi, achei que aconteceu exactamente o que se previa... (Eles estavam tão nervosos que a certa altura, uns dias antes lhes disse que andava tudo com tanta vontade de sucesso que, quer os exames quer as provas, o mais certo era serem fáceis...). Mesmo alunos meus, fracos, me foram dizendo na rua o que tinham feito... bem... e, tal como os outros, dizendo que foi simples...
Eles só me perguntavam... como é que a professora sabia? Estavamos mesmo calmos... Oh professora até deu para fazer a prova duas vezes! (os meus melhores alunos) para ter a certeza de que estava bem. Amanhã verei como se sairam (se se lembrarem do que fizeram).
E, EMD, fogo! Já nem me queixo! eh eh eh. Eu sei que o mal dos outros não é a nossa saúde... mas vocês ainda estão piores! Quando vier a avaliação de desempenho e respectiva papelada... vai ser o caos absoluto. Beijinhos

Carmo Cruz disse...

Amigos, quando eu comecei a andar "pendurada no logue do Zé Matias, levei uma "coça" de alguns anónimos quando eu sugeri "e se n´s fizéssemos uma revolução pela verdadeira Educação?"
Vejo, com muito gosto, que cada vez mais, entre vós, os que trabalham e se preocupam, se começa a esboçar a ideia de concretizar esta rebelião em que andamos contra medidassem nexo e que apanham sempre os mesmos. Força! O que querem que eu faça? Posso ajudar?
Um beijo da Carmo

Carmo Cruz disse...

Desculpem as falhas ortográficas,mas há coisas que me fazem sair dos carretos. Avó Pirueta

Herr Macintosh disse...

Tché pá, Teresa! O speed :-) é tanto que até os posts aparecem duas vezes!

emd, o que disseste só serve para provar que os crânios da 5 de Outubro lá nos seus gabinetes vivem num universo paralelo (já nem é noutro mundo) só lá deles.

EMD disse...

Eu nem disse todas as tarefas, não fosse alguém pensar que estava a exagerar. Tratei a coisa com o bom humor que me resta porque a não ser assim...
Mas lamento o mal-estar que estes absurdos causam na escola, porque eles puxam pelo pior que há nas pessoas, gerando a mesquinhez, os esquivanços, a animosidade, que se vira para os alvos errados...
E denuncio estes absurdos, sempre que a oportunidade se me oferece, nos lugares de decisão, exigindo que fiquem em acta os meus protestos.
Eu sei que vozes de burro... Mas não sei agir de outra forma... E de tanto bradar alguém, um dia, há-de ouvir.
Quanto ao grau de dificuldade das provas... teria uma longa história a contar da qual apenas deixo o título: A Tlebs nos exames, ou de como: faz que inclui mas passa ao lado.
Universos paralelos? Duvido que seja só isso. Acho, cada vez mais, que a intenção e distrair-nos com carradas de trabalho. Nós nem fazemos nada... E assim ocupadinhos nem nos sobra energia para suspirar.
Que pode fazer, Carmo? O que já faz:
Indignar-se, denunciar os disparates, afagar-nos a face, tudo nesse seu especial e único modo de ser e escrever.
Beijos (que não são -inhos por ser época de contenção de esforços)

3za disse...

eh eh eh essa da contenção dos inhos... da nossa doce Avó a sair dos carretos... vocês fazem-me sorrir. E um sorriso... um sorriso dá energia para a luta!
Bjs (máximo de contenção)

Herr Macintosh disse...

emd,

quanto à contenção dos inhos tenho a dizer que se é prá desgraça é prá degraça! Venham então os inhos e as okas e tudo o resto de bom a que temos direito... :-)

EMD disse...

herr,
Escapou-me essa perpectiva acertada da coisa.
Já que estamos a gozar o feriado a trabalhar, mimemo-nos.
E como só os "burros" não mudam: beijocas e abracinhos

3za disse...

Mãos largas (perdulária): beijocas, beijinhos, abraços, abrações e abracinhos. E, já se viu, estou de volta dos papéis, claro.

maria disse...

Pois mais uma vez também me calhou a mim a sorte (?) de ser correctora/classificadora. A reunião também vai calhar em cima de uma aula do 6º, mas não me vai dar tnto transtorno como a ti porque ando em menos andanças. A prova pelo que os meninos dizem parece ter corrido bem. Mas sei que isso nunca é bem assim e a maioria parece ter falhado nas questões que eu esperava, quando vi a prova. A ver vamos. Mas apesar de tudo acho piada a ver as provas dos outros, os erros que dão e tentar perceber porquê.
Coragem!

3za disse...

A questão é exactamente essa: a quantidade de andanças em simultâneo... neste momento já não dou a rsposta ao que tenho como quero... juntar mais coisas... Noutro contexxto não teria ficado em choque. Poderia até nem me agradar muito a tarefa, mas não valeria o comentário "aflito" :)...
Obrigada pelo apoio!