quarta-feira, maio 14, 2008

Ai o tempo!

Por causa dele, melhor, da falta dele... acho que até logo à noite não consigo preencher nenhuma página em branco aqui na teia... e depois...
Vou mais cedo para Lisboa... o regresso é tardio.

Não gosto muito de vida em jeito TGV, melhor, não gosto se não for eu a conduzir...
(Esta mania de ter o controlo nas mãos, o acelerador nos pés...)

2 comentários:

Luis disse...

Apesar de não teres tempo nenhum, Apesar de estares num periodo muito feliz e especial no regresso do teu par (ou impar ou irracional ou infinito) e teres muitas coisas mais importantes para voltar a saborear e abraçar.

Não resisti a partilhar aqui na teia um artigo que li na revista "Courrier internacional" de Maio muito giro.

O Algoritmo do "Jazz" (pequeno resumo)
Um programa informático pode ser tão criativo como um músico? A questão coloca-se após a publicação de um estudo sobre os cérebros de seis pianistas, que esclarece o mecanismo neuronal da improvisação.
O programa que referem é o GenJam, programa informático baseado num algoritmo genético, que permite improvisar como um músico de "Jazz".
Perguntam,
"Mas um algoritmo pode ser criativo?"
"É possivel, um dia que um algoritmo evolutivo invente o seu próprio estilo músical e se torne num novo Miles Davies ?"
Para Pietro Tonolo (Saxofonista, de 48 anos), diz que não, para ele "existe um verdadeiro Darwinismo neuronal na criatividade", que "joga a favor do talento do improvisador".
O que fica então ? a elegância? "Sim , como na Matemática ou na Poesia"

3za disse...

Partilha sempre! A teia fica enriquecida e eu agradeço... :)