terça-feira, abril 18, 2006

edutopia

O mérito não é meu. JL, aliás Herr Macintosh, é uma pessoa incansável nas suas buscas pela internet e, sobretudo, na partilha do que de melhor vai encontrando. Tenho a sorte de ser um dos destinos dessas ofertas quase diárias de artigos, textos, pensamentos, locais com interesse na internet...
Vem isto a propósito de uma partilha recente (entrevista com
Seymour Papert) que me transportou a um sítio na internet fértil em pontos de vista sobre a educação. Ali encontramos entrevistas e debates com os mais conceituados especialistas, em paralelo com outros contributos relevantes que nos obrigam a pensar. Não se explora em alguns minutos, mas é um local de referência pelas mais diversas razões e pode constituir-se um excelente recurso para qualquer um de nós, em qualquer momento.


Em particular, gostei do espaço dedicado às entrevistas (audio/imagem) mas, para além delas, há um mundo imenso a explorar... com tempo e paciência. Vou regressar muitas vezes.



Gosto do nome edutopia.
Faz-me lembrar a importância dos sonhos nas conquistas do Homem.

Vejam o que se pensava de Papert e dos seus sonhos ( http://www.papert.org/ )

People laughed at Seymour Papert in the sixties when he talked about children using computers as instruments for learning and for enhancing creativity. The idea of an inexpensive personal computer was then science fiction. But Papert was conducting serious research in his capacity as a professor at MIT. This research led to many firsts. It was in his laboratory that children first had the chance to use the computer to write and to make graphics. The Logo programming language was created there, as were the first children's toys with built-in computation. The Logo Foundation was created to inform people about Logo and to support them in their use of Logo-based software for learning and teaching.
Today Papert is considered the world's foremost expert on how technology can provide new ways to learn. He has carried out educational projects on every continent, some of them in remote villages in developing countries. He is a participant in developing the most influential cutting-edge opportunities for children to participate in the digital world. (...)


No início da minha carreira, por alturas do Minerva, desenvolvi (em colaboraçao com outra colega) uma experiência interessantíssima com o LOGO, que culminou na escrita de um livrinho onde se partilhavam as conquistas feitas. Quase sem recursos, com turmas difíceis numa escola nas "margens" da Setúbal mais pobre, percebi que Seymour Papert era um visionário, sim, mas era, sobretudo, um homem cujo entusiasmo se comunicava à distância e se transformava em acção. Um exemplo que procuro não esquecer.
O seu sonho tinha esse poder.
Os sonhos têm esse poder.

Acho que é possível muita coisa que (ainda) não está a acontecer...

Às vezes partilhar sonhos e outras formas de olhar ajuda. Edutopia?

10 comentários:

Herr Macintosh disse...

Já que estamos numa de partilha de espaços na internet sobre a educação com actividades e ideias aqui seguem mais uns quantos:
Apple Learing Interchange - apesar de ser muito virada para a utilização de software/hardware da Apple (não tenho nada contra, está bom de ver) é bastante interessante;
York University - muito material sobre como estudar (é para os universitários mas tem muitas ideias engraçadas para Estudo Acompanhado e não só);
BBC Schools - é a BBC e está tudo dito;
BBC Wales - Education - sobre os Celtas (ideias sobre o que se pode fazer para o ensino da História);
CMaps - software freeware para a criação de mapas conceptuais.
Pronto, por agora chega.

3za disse...

Perceberam todos agora, ou é preciso eu explicar melhor? :)
Obrigada J!

Herr Macintosh disse...

OK, para quem não conhece Papert (e também para os outros, obviamente) eis aqui um trabalho dele que me parece muito interessante (acabei agora de o descobrir através do Google Scholar e só dei uma vista de olhos. Chama-se "Uses of technology to enhance education" e pode ser encontrado aqui - atenção: é um ficheiro bem pesado).
Aqui fica uma citação:
"The main thrust of our examples has been to show that the experience of controlled devices can be used to give children, to a quite unprecedented degree, a sense of power of ideas in general, of science in particular, and especially of mathematical science. In a suggestive aphorism we might say: we have been able to give children a mathematical experience more like an engineer's than like a bookkeeper's.
To do this is, of cource, not sufficient merely to have a computer. It is necessary to develop contexts in which a computer can be used by a child to serve real, personal purposes. Such a context needs both material and conceptual (sic)" [página 8, o destaque é meu].

Teresa Lopes disse...

Curiosamente, um dia destes, para efeitos de concurso, passou-me pelas mãos o velho certificado de habilitações que data de 1978...
Verifiquei, então, algo que nunca me tinha chamado a atenção: é que a minha nota mais alta tinha sido na cadeira de "Educação e Utopia".
Relembrei o Professor Ribeiro Dias e as suas aulas que me fascinavam e das quais eu não conseguia tirar um único apontamento, pois eu queria era ouvir.
Pois é: as utopias já vêm desses tempos...

Tit disse...

Esta teia está carregadinha carregadinha de sonhos, ideias e frutos! Vou tentar aproveitá-los ao máximo, com muito sonho à mistura, claro!
Obrigada :)

Herr Macintosh disse...

Devido à pressa com que estava quando enviei o último comentário, o endereço do Google Scholar saíu errado. O verdadeiro endereço é este. Peço desculpa mas estava a fazer várias coisas ao mesmo tempo.

3za disse...

"é que a minha nota mais alta tinha sido na cadeira de "Educação e Utopia"" ... só podia! pena não ter tido uma cadeira com esse nome... acho que faria um figurão! :)

"Vou tentar aproveitá-los ao máximo, com muito sonho à mistura, claro!" Ora aqui está outra menina que também teria tido muito boa nota nesta cadeira... mas já não deve ser do tempo em que autopia até constava em programas! Agora temos de andar a correr atrás dela...

"Peço desculpa mas estava a fazer várias coisas ao mesmo tempo." Seria difícil estares a fazer apenas uma... não é o teu estado natural (nem o meu). Continua a fazer muitas coisas ao mesmo tempo que a gente agradece infinitamente e aproveita todas as dicas!

Tit disse...

Pois... é um facto... não sou desse tempo não - mas o nome da cadeira soa-me muito bem, sim! ;)

imaz disse...

Que lindas todas as maravilhas que nos mostraste neste tempo de Páscoa e de renovação!Adorei tudo e como culminaste com o Sonho, o Jardim e o Jardineiro.
Hoje todos regressamos e devemos continuar a sonhar e a trabalhar com o nosso "Jardim" onde existem "plantas" e "flores" de várias espécies e características. Umas que crescem maia depressa, outras que demoram mais tempo, mas cada uma com a sua beleza natural e com a sua própria sensibilidade. Umas que não aguentam o vento, outras que se desenvolvem mais depressa ao vento...Somos os "jardineiros" que devemos conhecer todas as suas características e necessidades de modo a podermos intervir tendo em conta cada uma e o sucesso de todo o "Jardim"

3za disse...

Imagem linda a tua Imaz... Partilho completamente esta tua visão... Não somos mais que jardineiros de lindas flores, cada uma diferente e especial. Espero que um dia quem nos tutela o perceba e cuide também melhor dos jardineiros que têm tão nobre missão... Obrigada pelas visitas e palavras! Beijinhos