domingo, abril 02, 2006

Dia Internacional do Livro Infantil

.



Um dia muito especial para mim. Quem me conhece sabe porquê e sabe, também, de que forma estou sempre ligada de alma, coração e caneta a esta causa do livro. Como o vou comemorar? Bem... Tenho aqui um segredo de folhear que não me fica bem partilhar, mas talvez um dia destes vos chegue aos ouvidos, ou às mãos e aos olhos...

Para vocês, neste dia tão especial, deixo semeadas por aqui umas palavras tecidas com carinho há tempos, que poderão partilhar com quem quiserem, neste dia ou em outro dia qualquer. Todos os dias são bons para partilhar...


Os sentidos


Os livros têm voz e fala
quando as letras dão a mão.
E as palavras misturadas
são viagens encantadas
pelo tempo e pelo espaço
mesmo sem sair do chão.

Os livros têm sabores
frescos como gelados.
A fome que passaria
as saudades que teria
se os livros à minha volta
estivessem sempre fechados!

Os livros cantam canções
que encantam os ouvidos.
E posso parar a olhá-los
com a minha mão tocá-los
sentir o seu doce aroma
usar todos os sentidos.

Os livros falam comigo
e são doce companhia.
Não me canso de os provar...
São sempre tão saborosos
em qualquer hora do dia!
.
Amigo de palavras

Meu livro, meu companheiro,
amigos assim, quantos há?
Não conheço mais nenhum...
Seja de noite, ou de dia,
à chuva, à sombra, ao sol,
quando quero adormecer,
quando quero despertar,
ou se estiver triste e pesado
e me apetecer voar.

Refúgio na solidão,
ou canção para partilhar,

pode ser aqui e já,
ou quando me apetecer,
que a amizade é sem horas
sempre que te quero ler.

E tu sempre preparado
com estranha e doce magia
que tece as palavras em teia,
os diamantes em jóias
fazendo uma sinfonia.

Que me conforta, me alegra,
me faz sonhar ou esquecer,
viajar e aprender,
ou só me faz companhia.

Meu livro, meu companheiro,
meu amigo de palavra(s)
em qualquer hora do dia!

Lar

É lar colmeia
ou formigueiro?
Ninho na árvore
ou mar inteiro?
É lar casa quente
sem aquecedor?
Casulo de seda,
vaso de barro
com uma flor?
Colo de pai,
barriga da mãe?
Livro guardando
os poemas de alguém?
Ilustrações de Fátima Pais

10 comentários:

elisabete disse...

As tuas palavras... Apetecem ser pequenina outra vez. Apetecem sorrir deixando correr aquela lagriminha que teima em saltar, mesmo a sorrir, ao ler-te. Apetecem aconchegar no teu colinho e nunca mais de lá sair.

A butterfly disse...

Não sabia que existia o dia internacional do livro infantil! Adorei os poemas!! Parabéns pelo blog! Acho que está a ficar cada vez mais interessante!!

Beijocas,
Mónica

Arte por um Canudo 2 disse...

Linda a homenagem! Paravras em poemas que melhor forma de descrever o livro.O Livro é um amigo...

Arte por um Canudo 2 disse...

Correcção do link

3za disse...

Obrigada Elisabete, Mónica e Agostinho!
Hoje vou deitar-me cedo... e levarei um livrinho comigo...

IC disse...

Se há alguém que eu tinha a certeza que não esqueceria este dia, eras tu :)
Também tinha posto a minha comemoração do dia, mas recorri às palavras da mensagem de quem este ano foi escolhido para tal, enquanto que tu tens o dom de escrever por palavras tuas lindas mensagens :)

3za disse...

Obrigada IC. Vocês... fico para aqui coradita...
Estas já estavam escritas há tempo, mas anseio por acalmar este frenesim e avançar em mais uns projectos novos...
Beijinhos

Tit disse...

Não podia deixar de aparecer por aqui hoje, exactamente por ser o Dia Internacional do Livro Infantil...
Parabéns 3za! Não só por estes teus poemas, mas por todos os outros - os que já conhecemos, os que com certeza brevemente conheceremos e os que ainda nem tu conheces, por ainda não terem nascido... ;)

Bjnhs e boa semana!

Teresa Lopes disse...

Das brincadeiras da minha infância recordo uma musiquinha, que por acaso ainda sei cantar, que rezava assim: "Passei, passei, passei/ passei aqui agora /já não vai há muito tempo/já não vai há meia hora."
Tu sabes que eu passo sempre por aqui.
Jokas

3za disse...

Obrigada!A canção é recíproca... Adoro visitar os recantinhos todos...