quarta-feira, maio 03, 2006

Pick Yourself Up

Ouvir aqui

Dia longo das 8:30 às 19 com pequena interrupção para trincar algo. Algures gasto entre aulas (a melhor parte), "horas de ficar"* (ver adenda) e reunião para fazer exames e matrizes e exames e matrizes e exames e matrizes de alunos autopropostos que podem nem aparecer. Passou a ser (mais uma) competência da escola. Gostava de ver outras autonomias à nossa mão, que não fossem apenas as de fazer mais papéis, mais papéis, sempre mais papéis...
.
Vai daí pensei... preciso de um banho de leveza.
Limpar o pó do dia e seguir em frente...
Pedi ajuda à Diana (ela nunca ma recusa). E agora sim, os meus bicharocos tratados, deveres do dia quase concluídos, ao som da diva, reencontro a paz de que preciso.
Amanhã é outro dia e eu gosto de todos os meus dias. Mesmo dos dias que não gostam lá muito de mim... Fico grata porque foi mais um a que tive direito. Um a que posso chamar meu.
Partilho. Porque enquanto houver vida, a esperança pertence-nos.
Tudo é aceleradamente efémero...
.
.

Pick Yourself Up

Nothing's impossible I have found
For when my chin is on the ground
I pick myself up, dust myself off,
start all over again
Don't lose your confidence if you slip
Be grateful for a pleasant trip
And pick yourself up, dust yourself off
and start all over again
Work like a soul inspired till the battle of the day is won
You may be sick and tired but you'll be a man my son
Don't you remember the famous men
who had to fall to rise again?
They picked themselves up, dust themselves off
and started all over again
.
Diana Krall
When I look in your eyes
.
*ADENDA: Às vezes as "horas de ficar" podem ser produtivas e tranquilas, se tivermos sorte com o momento do dia em que ficam situadas (que define naturalmente quem estará lá para as partilhar connosco) e o tipo de tarefa a que respeitam. Aquelas a que me refiro nesta entrada foram. Partilha de experiências e aventuras... discussão e troca de olhares, outras aprendizagens do ser pessoa e do ser professor misturadas sem fronteiras com a sociedade em fundo maior e outras paisagens pelo meio.
Devia esta adenda e um obrigada aos parceiros de tertúlia de ontem (roubei algumas palavras a um deles).
Pelo meio voaram borboletas e rosas e valores e olhares e perspectivas e ideias e sonhos e crenças e desejo de que o futuro possa ser um lugar possível para todos nós. E também rimos, que o riso é preciso.

É assim que vamos crescendo. Pessoas e professores. E que vamos construindo o futuro ambicionado.
.
.
.
P.S. Se o som não se ouvir logo de imediato... cliquem no link inicial que vos transporta à canção na página que cede os códigos (logo onde aparece escrito Diana Krall a seguir ao título da entrada)... Com sorte o som chega. Não percebi ainda se é ignorância minha, PC lento e velho ou "intermitências" do dito site. Por lá também ouço umas vezes, outras não... Mistério que já nem me incomoda... dou-lhe a volta e resolvo o problema. Não é assim na matemática? Não é assim na vida?

13 comentários:

Hindy disse...

Uma boa música para acalmar a alma... :)
Bjs

Tit disse...

Aqui ouve-se perfeitamente 3za ;)
A música... que belo calmante, sem contra-indicações :) [Por falar em musica... ficou-me a pulga atrás na orelha desde que ouvi falar, muito levemente por ti, aqui há tempos, e um destes dias aqui por estes comentários... - a música... pode-se dizer que ainda integra alguns dos meus sonhos de futuro ;)]
Bjinho e resto de boa semana.

Prof. Teresa disse...

Disseste que tínhamos muitas coisas em comum... pois.... esta é só mais uma...adoro a música, tenho o álbum e quanto aos papéis e à visão escolar... partilho inteiramente. beijinhos.

Anónimo disse...

Espero que as "Horas de ficar" tenham sido produtivas e tranquilas. Para mim foram. É sempre bom partilhar contigo as tuas experiências e aventuras, que diga-se de passagem têm mais impacto a cores, ao vivo e olhos nos olhos. Creio que as "horas de ficar" têm sido bem rentabilizadas...discute-se, trocam-se experiências, aprende-se...trocava estes exames do recorrente que estou a fazer por umas "horas de ficar".

3za disse...

Tens razão P... Estas "horas de ficar" hoje foram serenas e produtivas... férteis em partilhas com escola e sem escola dentro. Com a sociedade em pano de fundo e também a natureza a colori-la, o aprender pelo simples gosto de aprender. Porque é preciso, também, olhar o outro lado de quem somos. Nem sempre é assim com todas as "horas de ficar". Hoje foi e agradeço-te a ti e à G que o permitiram. E... já vi que finalmente ficaste a conhecer a Vanessa atalanta... :) !

3za disse...

E Teresa... eu não dizia? Isto as Teresas...

Matilde... sua curiosa... quando isto tudo acalmar hei-de enviar-te pelo menos uma cópia do CD à séria gravado pela BMG e produzido pelo Manuel Maria e Fernando Júdice dos Trovante. Uma experiência inesquecível... O outro, é um conjunto de canções escritas recentemente para os sobrinhos... colocadas artesanalmente num CD por mim (tenho software que permite). Se te apetecer... Beijinhos a todos!

Miguel Sousa disse...

musica é uma companhia fundamental para o equilíbrio (pelo menos para o meu)....costumo dar aulas de ed.física ao som de um som (muitas vezes não do meu gosto, eles é que escolhem)...a aula flui muito melhor....bom mgosto o teu (comentário desnecessa´rio, pois)

Teresa Lopes disse...

Fico satisfeita e animada quando alguém fala assim das "horas de ficar". É que neste momento ando mais numa de "horas de partir". Que hei-de fazer? Nada me prende! Horas para estar livremente com os alunos não tenho. Só tenho aquelas impostas no horário e que até nem são com os meus alunos... Confesso que ao fim do dia, ficar, é a última coisa que me passaria pela cabeça.
Força, Teresa!

3za disse...

A música, pois... sem ela tudo se torna menos claro. É bem verdade!
Ainda bem que gostaram.
E, Teresa, as "horas de ficar" dependem muito do quê e com quem. Quando as actividades de reflexão/construção de algo novo, ou tão só o diálogo permitem alguma serenidade e até sorrisos, então podem ser pedaços de tertúlia com sentido (imagina-te, eh eh, modéstia à parte, termos um bocadinho em comum para preparar, digamos, uma actividade de poesia com alunos, ou algo que nos apetecesse... por exemplo, já para o ano - a possibilidade é real - acho que não desejaríamos partir nessa hora de ficar... Ou só fazer o que fizemos no Verão passado em que a partilha surgiu naturalmente e nem pertencíamos à mesma escola... É dessas horas de ficar que gosto. Das outras não, não, não mil vezes não). Quanto aos alunos, como consegui uma hora de ficar que está aberta às minhas turmas de mat e hoje tinha 20 miúdos... consolo-me nesse espaço de diversidade (que adoro) com meninos meus. Tive mais sorte que tu, acho. O que não quer dizer que para o ano volte a acontecer... Enfim. Força Teresa, digo eu, que o ano está a terminar... e boa sorte para a viagem até aqui onde, espero, passaremos a estar juntas. :)

TA-SE(xto) disse...

Eu conheço, eu conheço esta Música!!!!!!
Aliás ("tirando" o inicio da música)até sei cantá-la, não é Professora?!

Muitas beijocas,
Mónica

P.S:.Depois quero saber como se colocou o "clip" de música no blog. ;-)

Tit disse...

"Se te apetecer"... dizes tu... ora... eu não quero é abusar da tua boa vontade :$ (são estes os comandos do bonequinho envergonhada, não é?...lol...)

3za disse...

Mónica, sua curiosa :) eu depois explico-te!
E Matilde... já foi mail a pedir a morada (não a encontro). Bjs

3za disse...

Correcção (6º comentário). Não é Manuel Maria, é Manuel Faria dos Trovante...