sábado, maio 20, 2006

Havia uma flor...

.
Desde as 5 a cuidar da vida em torno de mim.
Toda ela. Do jardim aos amigos espalhados pela casa. Da alma ao outro para além de mim. Dou.
No silêncio e no escuro da quase manhã, sensação de privilégio.
De alegria infantil. Tanto tenho. Por isso tanto posso dar.
Bebo algumas músicas para iluminar o dia. Recolho cerejas, morangos e poemas.
E sirvo-me das palavras de outro para dizer o que quero dizer.
(Porque hoje é sábado.)




Havia uma flor!
Nem eu sabia
onde é que a flor havia
mas tanto fazia.

Talvez houvesse
onde ninguém soubesse
ou fosse uma flor de estar a haver
só na minha imaginação,
ou não fosse uma flor, fosse uma canção.

Nem a flor sabia
que existia.
em qualquer sítio, sem saber, floria.
E se fosse uma canção cantava e não se ouvia.

E isso acontecia
no meu coração.
Não sei se era uma flor se uma melodia,
era qualquer coisa que havia,
e cantava e floria
dentro de mim sem razão.

ia pela rua e ninguém diria.
As pessoas passavam
e eu dizia:
"Bom dia!"
E ninguém suspeitava
o bom dia que fazia
em qualquer sítio
que dentro de mim havia!
Só eu sabia e sorria,
Levando-te pela mão.


Manuel António Pina
O TÊPLUQUÊ e outras histórias
Edições Afrontamento

3 comentários:

Hindy disse...

A beleza de uma flor... :)

Beijinhos

Tit disse...

Gosto do Sábado. Tento que seja um dia para mim. Sem horários. Nem sempre é possível, mas tento sempre que seja.
Muitas vezes o facto de ser um dia para mim acaba por me deixar demasiado pensativa - o que nem sempre tem o mesmo resultado no meu estado de espírito... Mas gosto do Sábado - já tinha dito isto não já?...lol
Bjinho 3za.

3za disse...

Beijinhos para vocês! Um excelente Domingo.