terça-feira, junho 13, 2006

Uma manhã doce...

.
Manhã doce esta minha.
Um convite pelo telefone, há tempo.
Sou educadora de Infância e os meus meninos e os meninos da escola do 1ºC trabalharam poemas da Teresa. Os pais também ilustraram alguns... Seria possível vir cá e estar um bocadinho com eles? Eles estão entusiasmados com a ideia de a poder conhecer!




Enquanto puder, conseguir, tiver energia e forças, irei sempre.
Não sabia que esta escola estava a trabalhar textos meus e é sempre uma surpresa tão boa ir ao encontro de quem, sem eu saber, já veio primeiro ao meu encontro.
Fui hoje.
E, como sempre, um banho de doçura, risos, sorrisos.
Especial ver crianças da sala do Jardim de Infância a recitar de cor o poema O Bibe e Canção de Embalar... Os meninos do 1º Ciclo a recitar Canção de Embalar e Nas ondas do mar... A fazer entrevista com perguntas saborosas. Na última turma (muito difícil, com problemas que de imediato se evidenciaram, alunos de 2º e 3º anos), propus estratégia diferente. Ali na hora, primeiro provoquei-os para a leitura... e depois começámos a reescrever o poema Nas ondas do mar. Assim se deixaram cativar. Primeiro desafiando-me para ver a reacção: nas ondas do mar podes ser touro e marrar... depois, porque lhes aceitei os desafios e expliquei os não limites da poesia e imaginação (que permitem colocar realmente um touro a marrar nas águas do mar...), a deixar-se partir para outras sensações... podes ser pescador e pescar, podes ser palhaço e brincar, nas ondas do mar podes ser... podes ser... Pedi que me enviassem o poema colectivo que vão escrever. Um deles, que iniciou provocando, estava orgulhoso das frases que foi produzindo ao longo do encontro e perguntava à professora:
esta minha frase pode ir para o poema da turma para enviar à Teresa? E pode ir para o jornal?

Vou aguardar. Um dia partilho.

Especial ver professoras condenadas a um isolamento geográfico num agrupamento com número excessivo de escolas de 1ºC e JI disperso por vasta área, a fazer um trabalho extraordinário com as crianças a seu cargo, num ambiente rural em que a motivação para o saber, os livros, a leitura é reduzida.
Especial ver poemas ilustrados por crianças e pais em conjunto, num processo de partilha pouco comum em contexto social nem sempre fácil.


Especial todo o tempo passado hoje com estas crianças, estas professoras, estas auxiliares que fazem um ninho só aparentemente afastado do mundo.
No final imensos beijinhos, um ramo de flores, um trabalho dos meninos do Jardim de Infância da educadora que me convidou... a Teresa (Teresa também... pois...)


Eu cá senti-me muito bem neste ninho. E, claro, o meu coração mole não resistiu:
prometi voltar para o ano que vem...

O prometido é devido!


O Bibe


Tiro do bolso um tostão,
um papel de rebuçado,
uma flor velhinha e seca,
um segredo amarrotado,
um berlinde e um pauzinho,
um fio azul, um pião.
Nunca o bolso está vazio
quando nele meto a mão!
Quando tiver de crescer,
e o meu bibe se rasgar,
onde vou buscar surpresas,
onde vou buscar um sonho
quando deles precisar?


Nas ondas do mar

Nas ondas do mar, podes ser peixe
e nadar.

Nas ondas do mar, podes ser espuma
e brincar.
Nas ondas do mar, podes ser barco
e partir.
Nas ondas do mar, podes ser gaivota
e voar.
Nas ondas do mar, podes ser só um sonho
a dormir.
Nas ondas do mar, podes ser canção...

Consegues ouvir?

7 comentários:

IC disse...

:)))
O meu sorriso hoje não está muito alegre, mas deixo muito grande para ti, Teresa, e também para esses meninos, professoras e auxiliares que visitaste.

Hindy disse...

Lindo! :o)
Beijinhos

Teresa Lopes disse...

Consigo imaginar como te sentes... Também já tive experiências parecidas. E as crianças são o nosso melhor público: não fingem.
Jokas

3za disse...

Pois... nem fingem nem vão em cantigas de meia tijela. Talvez devessemos ser mais como elas.
Isabelinha... obrigada pelo teu sorriso... percebe-se que tens questões graves a pesar nele...
Beijinhos a todas.

Tit disse...

A sinceridade genuína... coisa tão importante e por vezes tão ausente...
Aposto que foi um dia de sinceridaed, em que tofdos partilharam e falram a mesma linguagem...
Parabéns 3za e parabéns às professoras dos meninos.
Pela dedicação e pelo vestir da camisola pela Educação.
Um beijinho também aos meninos...

Tit disse...

(e tantas gralhas que aqui deixei... isto tá mau...lol)

3za disse...

Ninguém reparou...
Obrigada pelas tuas palavras...