quinta-feira, junho 15, 2006

As minhas flores do céu



Há dias que ando para vos contar novidades do jardim.
Aproveito o feriado, posto que sou professora, não estou num centro comercial, não fui fazer férias (amanhã estarei na escola) e com tanto para fazer preciso mesmo de estar em casa a trabalhar...
Pois. As generalizações são um erro grave.

Ainda assim roubo um bocadinho de tempo para mim, que, bem vistas as coisas, não é só para mim. Não se esqueçam que também sou professora de Ciências e que a metamorfose e as borboletinhas fazem parte do programa. Toda esta recolha de informação e imagens serve para projectos na sala de aula.


A primeira postura de primavera de papilio machaon começou intensamente há duas, três semanas atrás. É vê-las a colocar alegremente ovos nas arrudas (um destes dias pude observar de muito perto uma fêmea em voo, a contorcer-se junto à planta para fazer a postura de um único ovo. Colocam-nos isolados, espalhados pelas várias plantas.
É claro que os predadores fazem o seu serviço e levam alguns... depois nascem as lagartinhas e, novamente os predadores ceifam mais umas vidas. Estatisticamente pensa-se que apenas 2% dos ovos chegam a ser borboletas... É pouco, mas é o que a luta pela vida permite.


Neste momento já conto várias meninas em diferentes estádios de desenvolvimento (são cinco ao longo da sua vida no estado larvar - mudam de pele cinco vezes e, de cada vez, mudam o seu aspecto). Hoje vi mais umas acabadinhas de nascer. Ainda há ovos por eclodir.
Confesso alguma emoção ao contemplar esta explosão de vida. O projecto começado no ano passado está a dar frutos e, no actual estado de coisas, bem preciso de, por vezes, fazer divergir a atenção dos papéis e parar para cheirar a rosa...



Portanto, tudo caminha para a concretização de mais alguns sonhos de voo.
Brevemente as minhas flores do céu voarão e espalharão beleza, cor, suavidade pelos locais por onde passarem.


Ontem recebi um comentário de um "bloguista" o Ivo, na entrada em que falei pela primeira vez de forma mais exaustiva sobre a criação de papilio machaon. Em troca descobri a sua Serra da Adiça, que recomendo vivamente.

http://serra-da-adica.blogspot.com/
Portugal é local de maravilha, se soubermos olhar, ver, observar.


(Perdoem uma nota final com ligeira amargura: pena haver quem insista em só se referir ao mau, generalizando uma imagem escura e triste da profissão docente. Recomendo vivamente um passeio na natureza para aclarar as ideias. Os gabinetes ministeriais são como as palas dos equídeos - limitam a visão do melhor da vida.)

7 comentários:

Hindy disse...

Beijinhos :o)

TsiWari disse...

Quero uma professora assim para os meus filhos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

;)***

imaz disse...

Pois é..."As generalizações são um erro grave"... e muito injustas...
Basta acompanhar e observar "com olhos de ver" e sentir toda a sensibilidade, carinho e criatividade que neste espaço surge dia após dia.
Amanhã, na escola, iremos observar todas estas fotos das tuas "flores do céu". Obrigada por todo este espaço potenciador de aprendizagens. Beijinhos

Emilia disse...

Olá Teresa!
O tempo, diabos o levem!!!!
E eu sei que te devia visitar mais vezes.
Um abraço,
Emília.

Tit disse...

Obrigada por este post Teresa - tanto que se aprende por aqui :)
Quanto às generalizações... porque é que nunca haverá a tendência para generalizar o que de bom se faz?!...

Beijinho

asn disse...

Coincidências... Eu também aproveitei o feriado e andei no jardim a tirar fotografias a borboletas. Será que aquela que coloquei entusiasmadíssimo no meu blog é a "sua" "Macaon"?
É uma maravilha, aquela borboleta!
Uma verdadeira "flor do céu"!...

3za disse...

Enquanto eu durmo... vocês estão em plena actividade! Obrigada pelas visitas e pelas palavras tão generosas! Há que manter a cabeça leve nestes finais de ano alucinantes... Entre várias coisas,as borboletas ajudam! E os livros... pois os livros... ontem consegui ler um bocadinho e não era sobre auto-avaliação de escolas! Milagre! Abraço!