sábado, junho 21, 2008

Avaliação de desempenho

Uma questão preocupante pelos efeitos perversos que se adivinham, se se mantiver o actual modelo...

Mais um contributo: AQUI

(leitura sugerida por Ramiro Marques)

2 comentários:

Maria do Carmo Cruz disse...

Um documento desta natureza, com estes argumentos, já publicado há 3 semanas, já deveria ter acendido um rastilho. O que não sucedeu, provavelmente, pela pressão das últimas semanas de aulas.
Mais: se eu fosse técnica do ministério, por muito "experta" que me considerasse em avaliação (dos outros), eu já me teria demitido! Há demasiados erros para serem naturais. A confusão tem um objectivo definido, e lamento, os professores lêem muitas vezes de cruz. De Cruz, só assino eu. Pour cause...
Avó Pirueta, cada vez com mais vontade de ficar em condições de dar uns bons pontapés, se for preciso...

3za disse...

Depois da pressão dos últimos dias de aulas... continua apressão das reuniões e dos infindáveis papéis, impressos e afins... A escola agora parece sempre uma repartição do Ministério das Finanças em época de IRS... portanto... sempre uma razão para deixar passar o que nos vai condenar... Será caso para afirmar que temos o que merecemos? Nem me apetece pensar muito na resposta para não estragar o Domingo... (É que sim... ontem não, mas hoje... manhã na praia e almoço bom por lá... a promessa cumprida muito acima da expectativa... energia renovada!)
Beijinhos