quinta-feira, junho 26, 2008

Acordar como se pode...

Daqui a pouco reunião.
E levo comigo dez páginas de acta da de ontem (que só concluí hoje de madrugada, pois foi o último dia de aulas na Universidade), porque as reavaliações técnico-pedagógicas de alunos n.e.e assim o exigem e esta turminha não é simples. E não só... é preciso dizer tudo sobre tudo.
Sorte termos uma equipa de educação excelente na escola, que não chega a tudo e só com um empenho extraordinário vai operando alguns dos milagres observados.
Azar do meu menino (da carta) que deixou de ser "n.e.e" e de usufruir de medidas especiais...
O nosso menino diferente continua, porque o seu perfil de autismo é incontornável, neste caso com dificuldades acentuadas.
Azar da turma que passa a poder ter 28 alunos (ficará "aberta" para transferências) e dos professores que querem dar o seu melhor a todos estes meninos em contexto tão complexo (já me foi tão difícil com 20). Numa época em que muitos países reconfiguram o trabalho reduzindo o número de alunos por turma face às características dos jovens actualmente e ao tipo de trabalho que deve ser desenvolvido (imaginemos as TIC, o Plano Tecnológico, por exemplo, e as mil promessas de muito equipamento para fazer coisas lindas... sim... com várias turmas de 28?), nós por cá...

Mas poupar, claro.
Que outra razão?

Pobreza, sim. Mas não falo de dinheiro.
Parece que a elevação e desenvolvimento de um país se medem pela forma como trata as suas crianças, os seus velhos, os animais.

Como trata a educação, já agora.
Tudo dito.

Posto isto... serenemos...

4 comentários:

Maria do Carmo Cruz disse...

Teresa do Lindo Nome, sei que és Professora de Matemática, que és muito jovem e que, na Escola, certamente te ensinaram uma história de Portugal truncada, nem sempre verdadeira, etc e tal. Ma tenho a certeza de que colmataste as falhas e sabes a quem me refiro se disser "Duquesa de Mântua". Lembras-te do que lhe aconteceu? Eu, que sou um cordeirinho branco de casacata de S. João, uma pombinha sem fel, quando me sobe a raiva por tanta Esperança destroçada fico cá com uma vontade de quem nos apanhe as "duquesas e duques de Mântua" que por aí andam que nem sei se tenho que me confessar diso como pecado. Bolas, desculpa o plebeísmo, mas é demais! Vejam lá quando é que a senhora faz anos e ofereçam-lhe um bonita caixa cheia de humildade!
Um beijo e reveste-te de paciência. Tal como na ostra, daí nascerá a pérola do teu trabalho lindo. Um beijo Avó Pirueta

28 na sala disse...

professora obrigada pelo comentario que fez ao meu mini texto...e já corrigi aquilo que a professora tinha tido que ficava melhor, que era trocar o "temo-nos de despedir" por " temos de nos despedir".
Um grande beijinho para si e nuca deixarei de vir ver o seu blogue e nunca a esquecerei...

OBRIGADA POR TUDO!!!!

rita bastos!!!

28 na sala disse...

pois relativo a esse comentario que eu tinha feito a agradecer á professora de ter ido comentar o meu texto havia uma parte em que dizia "tido" e é suposto ser "dito".

MUITOS BEIJINHOS NOVAMENTE .....

DA SUA ALUNA RITA BASTOS!!!

3za disse...

Pois é minha querida Carmo... haja paciência e da santa! Tentarei sempre proteger os pequenitos o melhor que puder, mesmo com sacrifício da "intervenção na escola" e da avaliação dessa intervenção no meu desempenho. É que eles estão primeiro...
Obrigada pelo teu apoio e ânimo permanentes. Beijinho grande!

Minha doce Ritinha, se tu soubesses como é bom saber-te pertinho aqui na minha teia. Como é bom ver esse teu cuidado com a escrita a avançar, sentir-te a crescer (e já cresceste tanto desde o dia em que te conheci pela primeira vez!)... Olha, para o ano vou tentar criar um Scratch time outra vez e espero bem que as horas permitam que apareças uma vez por outra, nem que seja para um beijinho, ou só para te sentares um bocadinho a trabalhar na nossa companhia. Ficarei sempre muito contente por te rever...
Muitos beijinhos (vocês estarão para sempre no meu coração)