quinta-feira, março 30, 2006

Sabedoria popular


Bem... deixem cá ver o que vou partilhar convosco hoje...
Hummm (este hummm tem direitos de autor)... acho que não estou muito inspirada... Por que será?


Não é com vinagre que se panham moscas.
Não é com palha que se apagam fogos;
Não é a pancada da vara que amadurece a azeitona;

Não é a Escola que faz a vida, mas a vida é que tem de fazer a Escola.

(in O Grande Livro dos Provérbios)


Como há quem não acredite na sabedoria popular:

Andam as moscas cansadas por não serem bem apanhadas...
Anda o sucesso a aumentar (muito mais do que a gripe a alastrar...)

Andam as azeitonas completamente moídas em vez de bem amadurecidas...

E obrigam a Escola a fingir que tempo inteiro é suficiente, para encobrir as falhas de toda a gente...

As coisas boas da educação no nosso país são como as bruxas:
parece que já ninguém acredita nelas... mas lá que as há, há!
(Têm é muito papel por cima delas e não é fácil de descobrir onde estão!)


No meu sonho de ser professora,

este "pesoadelo" não existia...

Figuras - clipart do Freehand

8 comentários:

imaz disse...

No meu também não...
Mas está na hora de nos desembaraçarmos dessa papelada toda...apesar do cansaço!
Bom trabalho e obrigada pelos comentários que tem feito e pelas dicas que tem dado.

3za disse...

Eu é que agradeço as vossas visitas e os vossos mimos! (Podemos tratar-nos por tu se for possível... eu cá prefiro!). Bom trabalho!

Tina disse...

Este post fez-me lembrar da minha amiga Lídia, professora primária, quer dizer, professora do primeiro ciclo do ensino básico, será assim? bom... acho que no sonho dela também não existia este pesadelo.
Beijinhos e continuação de bom trabalho

3za disse...

Beijinhos para ti Tina e obrigada pela visita!

Eli Sheba disse...

Ainda bem que eu não tenho vocação para professora. Mas tenho uma grande admiração por quem a tem. E uma professora que eu sempre admirei e admiro é a 3za, foi a minha professora favorita e só me lembro de coisas boas - o carinho, a dedicação, a energia, o gosto em aprender com ela. Com ela tive, com certeza, as melhores notas a matemática até hoje!É pena não ensinar matemática na D.João II, no ensino secundário, tinha-me dado um jeitão...:P Enfim, é um gosto ser aluna desta professora.

Por isso nada de desânimo! E se um comentário como este ajudar de alguma forma, pode contar com um todos os dias!
Muitos Beijinhos*

IC disse...

"Anda o sucesso a aumentar (muito mais do que a gripe a alastrar...)"
Podes explicar isso melhor? Bem, é que não sei qual leitura faça: a)Como não anda nenhuma gripe a alastrar (estou a pensar na das aves), mesmo o "muito mais" fica em nada ? b) Por baixo da papelada descobres coisas boas... será que o sucesso ficou mesmo soterrado por baixo dela? (É que, se é isso, como na papelada da minha escola se esqueceram de umas "coisas" e, por isso, só tenho que levar 3 papeis, um para cada um dos meus DTs, e fiquei livre do monte, queres dizer que me bastam levantar 3 papeis para descobrir essa coisa boa???? Aiiii... já estava num sonho cor de rosa!!!!!!!! (Isabel esfrega os olhos a acordar) ;)

3za disse...

Elisabete... é claro que me faz um beeeem enorme! Mas não precisas (pobre de ti) deixar palavras todos os dias! Isso está sempre presente em mim e são essas coisas que mantém o sonho e a chama vivos! Mas MUITO OBRIGADA pelos mimos que aquecem o coração nesta Primavera fria! A animação cresce logo mais depressa!

3za disse...

IC, as leituras são várias... e até eu própria me surpreendo com cada uma. Estive para apagar e substituir pois de cada vez que voltava lia algo diferente e pensei que podia ser mal interpretada... talvez tivesse valido a pena colocar umas aspas a entalar o sucesso... porque a ironia é essa. Mas... o sucesso que alastra... em muitos casos... é o sucesso do nível >2 (não é o sucesso educativo)e deve-se aos papéis e ao medo de reprovar os alunos fundamentando as decisões... portanto, já estou a ver um milhão de planos de recuperação de alunos com imensas negativas desaparecerem como que por milagre e as estatísticas do "sucesso" dispararem para contento dos autores dos despachos (eu não vos dizia!Dirão eles...). Mas, também, sem ironia, há o sucesso de que falas, debaixo de uma ou outra folha de papel, as coisas boas de que não se fala... o sucesso verdadeiro, as conquistas de algumas crianças, de algumas famílias que trabalharam em conjunto com alguns professores exigentes... Eu sei histórias desse sucesso, tu sabes, muitos sabem... não chegaria para suplantar o alastramento inexistente da gripe... mas cada caso é importante e não deve ser contabilizado estatisticamente apenas (uma subida para mim já é um "alastramento bom"). Feitas as contas finais, se realmente alastrar meeesmo... (a frase também pode ser entendida como um prenúncio, uma adivinhação do futuro), desconfiarei dos números que me forem apresentados. Sim, porque nós estamos aqui para ver como as coisas acontecem... e as razões pelas quais acontecem... (A tal estratégia do medo que tão bem retrataste há tempo e que, apesar de tudo, consegue vingar e dar frutos entre os mais frágeis e menos seguros...)... Bem, e com isto tudo quem se está alastrar (alargar) sou eu... uff!