quinta-feira, julho 12, 2007

Memória, Ansiedade e Matemática...

O JL (Herr Mac) enviou-me mais um artigo dos muitos interessantes que vai encontrando pelas suas produtivas viagens cibernáuticas.
Pela sua relevância e oportunidade, divulgo.

A leitura completa pode ser feita AQUI.

Deu-me ainda a informação complementar de que no livro de Michael W. Eysenck e Mark T. Keane (Cognitive Psychology: A Student's Handbook), que me recomendou há tempos, podiam ser consultadas as páginas 489 a 511, onde também se pode ler sobre o problema da cognição ligada à emoção.


Aqui fica então:


Journal of Experimental Psychology: General
2001, Vol. 130, No. 2, 224-237
Copyright 2001 by the American Psychological Association, Inc.
0096-3445/OI/S5.00 DOI: 10.1037//0096-3445.130.2.224


The Relationships Among Working Memory,
Math Anxiety, and Performance

Mark H. Ashcraft and Elizabeth P. Kirk
Cleveland State University


Individuals with high math anxiety demonstrated smaller working memory spans, especially when assessed with a computation-based span task. This reduced working memory capacity led to a pronounced increase in reaction time and errors when mental addition was performed concurrently with a memory load task. The effects of the reduction also generalized to a working memory-intensive transformation task. Overall, the results demonstrated that an individual difference variable, math anxiety, affects on-line performance in math-related tasks and that this effect is a transitory disruption of working memory. The authors consider a possible mechanism underlying this effect disruption of central executive processes—and suggest that individual difference variables like math anxiety deserve greater empirical attention, especially on assessments of working memory capacity and functioning.

.

4 comentários:

Herr Macintosh disse...

Quem estiver interessado no assunto e quiser entender alguns dos conceitos mencionados no artigo deve ler:
Alan Baddeley, Your Memory: a User's Guide [lê-se bem, mas quem estiver com pressa leia o artigo dele chamado "Working Memory: The Multiple Component Model" em Akira Miyake e Priti Shah (eds), Models of Working Memory]
Michael W. Eysenck e Mark T. Keane, Cognitive Psychology: A Student's Handbook [há várias edições e quem conseguir o livrinho deve ler os capítulos 5, "Attention and performance limitations"; 6, "Memory: Structure and processes" e 18, "Cognition and emotion"]
Quem esteja mais virado para a poupança pode descarregar o artigo de Alan Badelley Working memory and language: an overview [é sobretudo sobre a relação entre a memória de trabalho e a linguagem mas a introdução explica uma série de conceitos].
Igualmente interessante é o o artigo de George A. Miller, The Magical Number Seven, Plus or Minus Two: Some Limits on Our Capacity for Processing Information.

3za disse...

ufffff.... imparável! Para quando o seu bloguesito? O que a gente ia aprender... :)

Herr Macintosh disse...

O meu interesse pela memória surgiu do meu interesse em saber como podemos produzir materiais pedagógicos multimédia mais eficazes. Depois de ler os livros e-learning and the science of instruction (Ruth Colvin Clarke e Richard Mayer) e School Learning and Cognitive Style (Richard Riding) percebi que precisava de aprender alguma coisa sobre o nosso processador de informação (vulgo o cérebro) e foi assim que primeiro descobri o Alan Baddeley e depois o Michael Eysenck e o Mark Keane e o George Miller.
O bloguesito está nos planos. Não sei se alguém aprenderia muito... Mas depois deste ano completamente louco é tempo para descansar (conceito interessante, é um verbo não é?).

3za disse...

:)