sexta-feira, maio 25, 2007

Fracções... e... "sei quem ele é... ele é bom rapaz..."

O dia foi pleno de coisas boas, mas só conto um bocadinho (mesmo suspeitando que não conseguirei conter as palavras nesse meu jeito espraiado de contar).

Sempre antes de sexta a pergunta: professora, amanhã é na sala 16 não é? E vai levar o quadro interactivo não vai?
Admito que não seja por ser novidade, tão pouco por lhe dar sabor a rebuçado, que eu pouco feitio tenho para lhes adoçar o caminho só por adoçar. Têm de se habituar ao prazer do desafio, ao do trabalho sério e as conversões de unidades de volume nas últimas aulas (prática compreensiva de procedimentos), a par com a resolução intensiva de problemas são exemplo disso. A sexta é outra coisa. É o momento de aplicar ou descobrir, de aprender ou exercitar num contexto diferente. E é importante diversificar os meios, as propostas, os suportes, sem diminuir a qualidade dos desafios.
Assim, preparei para hoje a continuação da iniciação às fracções (turma de 5º ano... não esquecer que este ano o quinto tempo é meu e foi possível gerir o programa respirando... só quatro tempos semanais é muito pouco).
Utilizei uma actividade: PIZZA PARTY

.



que encontrei aqui:




Divertimo-nos sempre imenso com actividades em que as instruções são em língua inglesa: têm de ler... têm de decifrar... A vida é como é... e é bom que se vão habituando a usar a língua inglesa nas viagens pelo ciberespaço.
Depois fui além da proposta da actividade, jogando, claro, com o gosto que fazem em vir ao quadro ser eles a clicar a escolher a dizer como é.
Assim, não só tinham de descobrir qual a fracção apropriada, como explicar a razão da escolha (pobrezitos... comigo nunca se livram das razões, das explicações, das argumentações...) e apresentar a leitura da dita (nunca lhes ensinei a ler uma fracção e as primeiras tentativas foram engraçadas... eles próprios lá foram chegando pela lógica da figura e da escrita do número). Também nas explicações tiveram de utilizar os termos numerador, denominador... ao princípio ainda se ouviu o eterno "dominador"... mas a coisa foi-se compondo.

Nenhum registo, nada copiado no caderno, mas sabem qual é o TPC... e é raro aparecerem alunos entre os 28 que não o trazem feito (também sei que tenho uma turma muito especial, o mérito pende muito mais para o lado deles e para o lado dos pais que nos apoiam incondicionalmente, do que para o meu... eu sou só uma facilitadora de caminhos que deseja motivar e potenciar o bom que já ali existe sem desmotivar para o futuro...).

Falava eu do TPC... os registos, claro! Copiem da página aquelas coisas típicas... com setinhas a apontar para uma fracção e a dizer: numerador, denominador... lê-se assim e assado.

Porque me aflige (sempre me afligiu) gastar tempo da aula em cópias de registos do quadro, ou do livro, que dispensam a minha presença, que nos roubam tempo útil para desenvolver competências bem mais importantes. Eles são meus cúmplices. Sabem bem a importância de termos o tempo todo para nós, para nos desafiarmos, para efectivamente fazermos coisas úteis em que precisamos uns dos outros. O resto façam depois sozinhos que eu não vos faço falta para isso!

Assinale-se que nunca envio TPC de um dia para o outro, que tenho o cuidado de gerir a disponibilidade dos seus horários sem sobrecargas desnecessárias, mas sem lhes retirar essa componente de trabalho individual que considero indispensável e formadora de hábitos de estudo autónomo. Por isso mesmo selecciono TPCs que não precisam da ajuda de adultos. Repetir um exercício e comparar com o que foi feito na aula para trazer as dúvidas... copiar uma informação... fazer por escrito um exercício já resolvido oralmente na aula nos momentos de desafios para pensar sem escrever... O TPC de hoje é para apresentar na terça-feira.

E a aula acabou. E ficam sempre alguns na conversa. É hora de almoço. Gosto de os ouvir. Gosto de gastar o meu tempo nesse prazer sem horário, sem obrigação.
Hoje foi assim: apetecia-lhes cantar... mas... surpreendentemente... temas que trazem de memórias antigas um cheirinho a avó e a naftalina doce. Elas têm 10 anos e foi isto que se segue que me cantaram hoje com uma emoção que me arrebatou...




isto
e...
chamava-se nini... dançava só para mim...
e...
mais umas coisas surpreendentes como
... depois do adeus...
...amar perdidamente
Fui almoçar a correr, mais tarde, claro. Somos cúmplices muito para além das aulas.

Têm 10 anos, repito.
(O mundo está mesmo salvo. Conseguem ver o meu sorriso? Esse não consigo congelar...)

7 comentários:

Anónimo disse...

k giro k ta

Anónimo disse...

salvaddor 25

Prof. Teresa disse...

buáaaaaaaaaa..... quero ter a idade do meu filhote e ser tua aluna.....buáaaaaa.... beijinhos e bom fim de semana!

3za disse...

Kida... :)
Beijinhos e bom fim de semana!

Teresa disse...

Bem estou sem palavras... Nós prometemos que vamos aumentar o reportório.

Teresa disse...

Bem estou sem palavras... Nós prometemos que vamos aumentar o nosso reportorio.

3za disse...

Um grande sorriso para ti Teresinha... Há aí muito cantor que gostava de ter a tua voz e a tua capacidade de interpretação! Um bom fim-de-semana sempre a cantar!
Beijinhos