sábado, abril 28, 2007

Resumo do dia - pronúncia do norte...

Rever Amigos.
Posso usar a palavra?
(Acho que eles disseram sim...)

É-me depositada nas mãos uma oferta mão cheia de poesia, MERIDIONAIS de João Pedro Mésseder, que faz a síntese do dia na contracapa:




Um mito como outros, o sul, ou apenas um lugar, um ponto cardeal? Para o que habita esse lugar, existe sempre, todavia, um outro sul. E, por isso, um qualquer norte - ou desnorte - é a sua morada. Aí elabora sobre a distância que o separa do cenário inatingível. Uma vez mais, "o nada que é tudo". Desse nada, desse tudo, uma escrita emerge. Sustentando o mito.



.

E vou ao Terrear encontrar a essência musical das horas de hoje...
Essa pronúncia, sim. Que foi todo o dia encontro de um certo norte com um certo sul ou talvez nem sul nem norte, apenas o centro de tudo. Porque, como diz JPM

Afinal
o mundo
tem um centro

E o resto... é música!
Pronúncia que me ficará a bailar nos ouvidos até ao reencontro.

.

4 comentários:

TsiWari disse...

Este Porto.....sempre porto!

***

margarida disse...

Não tenho aqui comigo um livro que se chama "Daqui houve nome Portugal", onde Eugénio de Andrade escreve sobre o Porto, qualquer coisa como: - era um velho burgo, feio, sujo, reles até... mas gostaria tando de lhe por um diadema na cabeça...-

(citação feita de cor, de um poema lido há mais de 20 anos. Peço desculpa por só poder dar a ideia)

Margarida disse...

Encontrei na net bendita! -:))

“Meti-me por Setembro fora, a caminho do fulgor das maçãs, deixando para trás os bruscos golfos da tristeza e uma luz de neve quebrada de vidraça em vidraça.
Contemplava a cidade das pontes pela última vez, envolvida por lençóis encardidos e uma névoa que subia do rio para lhe morder o coração de pedra.
Era um burgo pobre, sujo, reles até – mas gostaria tanto de lhe pôr um diadema na cabeça.”

Eugénio de Andrade - Memória doutro rio...

(Inventei o feio. Se tivesse pensado... Eugénio de Andrade nunca chamaria "feio" ao "seu Porto"

3za disse...

Estas gentes do norte.... boas, doces e com orgulho no seu canto! Gosto de ver e ouvir... No sul isso não é assim evidente... penso eu...
E, pois, a maioria dos recentes amigos e parceiros de aventura são do norte!!! Será que tenho alguma costela? Outra vida aí feita antes desta??? :)