domingo, abril 15, 2007

O Poder dos Sonhos

Acorda-nos. Recorda-nos. Sacode-nos.
(Não desistam dos sonhos. Ainda há tempo...)

“Por todo o lado encontrei magníficos sonhadores, homens e mulheres que porfiadamente acreditam nos seus sonhos. Mantêm-nos, cultivam-nos, multiplicam-nos. Eu, humildemente, à minha maneira, também fiz o mesmo”
.
“Sonhamos que é possível outro mundo e tornaremos realidade esse outro mundo possível”, afirma Luis Sepúlveda, e esta não é apenas uma declaração de intenções. Como é seu hábito, o escritor chileno usa o seu talento de narrador para denunciar o estado de inquietação do país que ama e que o viu nascer, do país onde escolheu viver e do mundo inteiro em geral. O empenho cívico que o incita a acusar a veiculação de informação corrompida, a condenar “o indigno atoleiro que hoje é o Iraque”, a criticar a guerra e a mostrar a sua indignação pelas vítimas da tortura ou do “friendly fire” possui a mesma profunda raiz humana com que recorda as companheiras e companheiros dos afortunados anos de Salvador Allende e com que homenageia os amigos de sempre. É portanto um forte sentimento de humanidade o que une as histórias e reflexões aqui reunidas, sempre pontuadas por uma convicta e apaixonada participação no destino dos marginalizados, dos esquecidos e das vítimas.

5 comentários:

Margarida disse...

Só para dizer que este blog está cada vez mais interessante, do meu ponto de vista, claro.
Podermos pesquisar por assunto é uma ideia fantástica.


A colega do Norte

Margarida

(Gosto do Luis Sepulveda. É um namoro que se tem prolongado desde que li "O velho que lia romances de amor")

TsiWari disse...

é dos meus autores predilectos.

ofereço-o inúmeras xxx's.

li, também, este.

***

3za disse...

Obrigada Margarida, colega do norte (onde estão amigos queridos), pelo carinho, visitas e palavras! Concordo convosco... prateleira cheiiiinha de LS...

Fátima disse...

Oi, Teresa
Moro no Brasil, vim conhecer seu blog via Netescrita e amei tudo o que li por aqui. Esse mundo virtual é incrível, aproxima pessoas de culturas diversas quando as idéias e sonhos são quase os mesmos. Em maio vou participar de um congresso e vou conhecer o professor e escritor José Pacheco da Escola da Ponte.
Não é incrível? Quem sabe um dia você atravessa esses mares. Será um prazer! Quanto a mim, acho difícil, embora tenha uma amiga de infância que mora em Braga.
Ah, agradeço a sugestão de leitura.
Abraços.

3za disse...

Olá Fátima! Tens toda a razão! Obrigada pelas tuas palavras... Realmente não será muito provavel vencer este mar todo fisicamente, mas a net, felizmente, dá-nos esta liberdade de voar e a possibilidade de encontros saborosos! Os meus livritos para a infância já por aí andam numa escolinha - enviei ao Vicente da Oficina de Projectos que também encontrei virtualmente. Se quisers que tos envie (oferta, claro! O último pode ser adquirido via net directamente ao editor, mas também envio um exemplar), dá-me uma morada e fá-lo-ei com todo o gosto (escreve para teresamar@gmail.com). Beijinhos.