terça-feira, janeiro 08, 2008

Um problema pode ser qualquer problema...

Sala de informática, ontem.
Depois de termos gasto, antes do Natal, imenso tempo a instalar o Scratch em todos os computadores (uma internet que é um "choque tecnológico", pelas piores e mais lentas razões), ao tentar entrar nos PCs... nada de Scratch. Um a um íamos abrindo os computadores e o gatinho não aparecia.
Antes de termos testado todos os computadores, a F (5º ano) levanta-se e lembra-me baixinho: oh professora, da outra vez nós para instalar não entrámos como alunos, a professora entrou como administradora e pôs outra password.
Não lhe liguei muito... respondi que isso não devia ser motivo, pois a partir do momento em que se instalava um programa ele "deveria ficar sempre à vista" independentemente da sessão aberta... (ainda não aprendi que tenho de prestar sempre atenção a tudo o que os alunos dizem).

Claro que depois de abrir todos os computadores e não encontrar o Scratch em nenhum... humildemente reconheci perante a turma que a hipótese colocada pela F (e que continha em si a semente da possibilidade de verificação) parecia ser a mais razoável (ou isso, ou alguém se divertira a desinstalar tudo, o que não fazia sentido). Assim sendo, resolvemos testar a conjectura da F. Terminámos a sessão como alunos, entrámos como administradores... e, por uma pouco razoável configuração do sistema, lá nos apareceu o gato que ficara escondido (nem rabo deixara de fora) entrando no computador pela sessão a que os alunos têm acesso.

Claro que aproveitei bem a ocasião para reforçar a importância de, em qualquer circunstância da vida, sempre que um problema surgisse, procurar resolvê-lo inteligentemente colocando as hipóteses possíveis de resolução e testando-as. A tal matemática da vida... Dei os parabéns à Filipa pela lembrança e sugestão e pedi-lhe desculpa por, no primeiro momento, não ter levado em conta a hipótese por ela colocada.

Assim vamos crescendo.
(Eles e eu.)

2 comentários:

Herr Macintosh disse...

Teresa,

que isto sirva para lembrar que existe uma coisa chamada Lei de Murphy (a tal que diz que se alguma coisa pode correr mal há-de correr).
Já agora, para além de pedires desculpa à aluna, dá-lhe uma boa nota uma vez que a rapariga revelou uma excelente capacidade de resolução de problemas (se bem que não tenha sido um problema matemático).

3za disse...

Todos os problemas são matemáticos na sua essência... ai esta equação que é a vida! :)
A boa nota estará garantida...
(rimei... mas não foi intencional...)