quinta-feira, janeiro 17, 2008

Clonei o sentimento...

Eu sei que me apetece muitas vezes trazer certos blogues para os fios da teia, neste tempo de nonsenses que ficariam bem num recanto chamado Monty Python's Completely Useless Web Site . Vou-me contendo. Os leitores chegam a esses blogues bem mais depressa do que aqui, portanto...

Mas hoje volto a não resistir.
Ao ler, fiquei como o "dono" do Umbigo: Entre o Fascinado(a) e o Abismado(a) (mas com um toque feminino no fascínio e perplexidade ou abismação - palavrita que é como muita medida recente: não tem cabimento nem nexo, mas pode ser escrita só porque apetece.).

Começo a sentir o que senti por alturas do concurso de titular: há-de haver uma forma de dizer não, mesmo com penalização*, e preciso de a descobrir rapidamente, para bem do bom equilíbrio físico e mental - qualidade de vida. Sou optimista, já perceberam. Ainda não me convenci de que serei embrulhada, sem querer, nesta rede. Ando à procura, nas malhas da lei, dos interstícios da possível infidelidade normativa, devidamente fundamentada. Sou persistente nas recusas às coisas que não fazem sentido e prejudicam a minha principal vocação pessoal.

*(Estou apenas no 5º, pois, por não ter concorrido, não tive direito ao rebuçado do 6º, oferecido a quem concorreu, mas não ganhou título. A renúncia valeu cada "centavo" perdido e a perder.)

2 comentários:

paulo g. disse...

O "abismado" é mesmo no sentido de "abismo", de fundo de poço, de buraco dos grandes.
;)

3za disse...

... pois. Devia ter calculado que era uma "abismação" profunda... :)
(E não se pode exterminá-los? Aos buracos?...)