domingo, setembro 10, 2006

ECD - Consulta pública

E como Domingo é um dia tão bom como outro qualquer, talvez até melhor, porque estamos mais disponíveis para pensar nos erros graves desta proposta, divulgo aqui exactamente o que o Miguel Pinto no seu OUTRÓÒLHAR divulga, para reforçar e alargar a teia de conhecimento.

A proposta de alteração do regime legal da carreira do pessoal docente da Educação Pré-Escolar e dos Ensinos Básico e Secundário encontra-se em consulta pública.
Para enviar sugestões e comentários, utilizar o seguinte endereço de e-mail:
ecd.consulta@me.gov.pt


Informação em:

ME


ADENDA: A versão que se encontra para discussão pública é a 1... agora fico sem saber para que servirá a versão 2 fabricada em Agosto... a tal que foi apresentada no primeiro encontro com a Fenprof e que motivou o adiamento da negociação, para que pudesse ser lida previamente... É suposto discutir publicamente exactamente o quê? A 2 desapareceu? Ou mantém-nos entretidos com a 1, enquanto mexem na 2 com os sindicatos? Alguém mais esclarecido e bem preparado do que eu, mera futura equiparada (tanto na versão 1, como na 2... quer dizer... dependendo do descongelamento e passagem para o 9º escalão... se continuar no 8º, mesmo depois de ter já sido concluído o processo de avaliação, relatório entregue, classificação atribuída e por 10 dias interrompido o processo, só na 2ª versão serei equiparada, pois incluem o 8º "na coisa") e impossibilitada de exercer cargos de coordenação pedagógica, científica ou outros... até conseguir chegar a titular à séria (versão 2), me explica este fenómeno da discussão pública de qualquer coisa que nem se sabe exactamente muito bem o que é?
E se acharam este parágrafo confuso, não se preocupem... é o estado em que fica a nossa cabeça e em que vão ficar as escolas, ou até, quem sabe, a prova provada de que não tenho mesmo capacidade para continuar a desempenhar os cargos que toda a vida desempenhei com entrega e dedicação...

3 comentários:

imaz disse...

Pois é Teresa estas coisas tão importantes continuam a ser fabricadas em Agosto e "atiradas" como se não tivessemos nada a ver com elas...Esta nova versão continua a ter coisas muito graves para todos nós. Continuamos com professores e professores titulares por exemplo...No meu caso, com 27 anos de serviço, serei um daqueles que ficarão equiparados dado o escalão em se encontram (8º,9º e 10º)Mas o que me faz confusão é continuarem a pensar que os professores mais novos não podem desempenhar outras funções ( coordenação, etc)...e também no nosso caso (monodocência) sem reduções nenhumas ao longo da carreira e que teremos de trabalhar com meninos pequenos até aos 65 anos... No meu caso serão 44 anos de serviço... é duro... e imagina as crianças de 6anos a chegarem à escola e encontrarem pela frente uma pessoa dessa idade...

3za disse...

Entre e os 22 e os 30 desempenhei mais cargos do que me lembro. Acho que fiz muito bom trabalho e aprendi imenso. Cresci. Entre os 30 e os 43 (agora) continuei na mesma... sempre aceitando os desafios e procurando estar à altura. Esta coisa de impedir que se exerçam cargos é dos maiores absurdos... e obrigar os professores a trabalhar (resta saber se se ficam pelos 65...) com crianças até tão tarde é de quem não conhece as características desta população nem a natureza do trabalho que se realiza... é de quem percebe pouco de educação... uma tristeza e uma ameaça grave ao futuro...

Miguel Pinto disse...

Entrei só para deixar um sorriso... :)