terça-feira, julho 08, 2008

Vá... um minuto de vaidadezinha. Falemos de carinhos.

Ontem descobri no site do MIT ( aqui: http://scratch.mit.edu/pages/credits ) umas palavrinhas que me souberam bem.

We would like to give special thanks to:
(...) Maria Cosmo, Cleber Tavares Jr. and Teresa Marques (Portuguese), Mauro Di Blasi (Italian), (...) for their help in translating Scratch, the Scratch website and Scratch materials, and for helping spread the joys of Scratch around the world. (...)


Soube-me bem o carinho, o reconhecimento.
Como me sabe bem o carinho de outras entidades como a Universidade de Aveiro e até a PT Inovação - SAPO (um dia conto).
Estou a falar do Scratch, claro.
Sempre me ajuda a esquecer a falta de carinho de quem me tutela... de quem cria regras que me fizeram ser já avisada de que as poucas faltas que tive de dar a reuniões na escola para poder ir a aulas na Universidade (onde a minha assiduidade também contava para a avaliação) me vai prejudicar na avaliação, embora isso se relacione com um projecto TIC na Matemática (ai! Rico Plano Tecnológico este! A começar assim...)
... que os 15 minutos de atraso por distracção este ano (que acabaram por ser repostos logo nessa aula que dei por inteiro...) me deram direito à única falta do ano... falta que não me permite ter 100% de assiduidade... logo... não me permite ser excelente e... juntamente com as outras... quem sabe... nem tão pouco ter Muito Bom...

Mas já não quero saber. Não falo disso com mágoa nem preocupação, apenas repiso para denunciar os absurdos de um sistema insano que não pretende avaliar o trabalho de ninguém... apenas contribuir de forma "engenheirosa" para poupar uns tostões. Não gasto neurónios com coisas pouco sérias, tortas desde a raiz.

Os sorrisos e o carinho dos Pais dos meus meninos (ontem), preocupados, querendo saber se era eu que ia continuar com eles... e fazendo contas aos restantes filhos a ver se.... podiam vir a ser meus alunos também, o carinho dos meus meninos (ai tantos abracinhos a quem apareceu), o reconhecimento da minha Universidade que, sem me conhecer, achou por bem dispensar-me de dez cadeiras do primeiro ano depois de analisar não sete anos, mas o currículo inteiro de uma vida, o carinho e reconhecimento de pessoas e instituições que prezo, chegam-me mais do que bem para suprir as falhas de quem mais me devia acarinhar.

Pronto. Terminou o minuto. Talvez tenham sido cinco.
Mas vocês compreendem.... :)

7 comentários:

Maria do Carmo Cruz disse...

Teresa, I so very proud of you, my Dearest! So proud and happy for you. Kiss you tenderly
Avó Pirueta

3za disse...

Querida Pirueta... pois serás uma das pessoas a quem enviarei os devaneiozitos em inglês para o próximo livrinho eh eh eh... mas a coisa ainda está atrasada... é muita areia na minha camionetezinha! Obrigada pelo teu carinho e palavras de mimo... suspiro :)
Beijinhos muitos

Raul Martins disse...

Carinhos, porque antes de mais somos pessoas. E eu fico feliz.
.
Carpe diem!

Os cabaninhas disse...

Olá Teresa, mereces ter essa vaidadezinha. Parabens por seres como és!Beijinhos. Fátima

3za disse...

Vocês são uns queridos... eu sou tão mimada que nem me faz falta o "não mimo" (melhor, os empurrões) de quem devia zelar por nós... :)
Abracinhos

Anónimo disse...

Pois é Teresa continue a ser assim, porque terá sempre o carinho daqueles por quem vale a pena lutar... os seus meninos :)
Beijinho***
Ilda

3za disse...

:)
Beijinhos