segunda-feira, março 05, 2007

Manhã cheia de palavras, leituras e sorrisos

Pois...



Seria de prever.
Como resistir-lhes?
Ai o tempo a esticar, a esticar...

Desafio de duas EB1s de Setúbal: animar hoje um momento da Semana da Leitura com meninos.
Pois.
Primeira escola: 1 turma de 3º ano com alguns alunos de 2º
Segunda escola: 3 turmas de 4ºano

A escolha da animação referi-a há tempo sem desvendar o segredo:
http://tempodeteia.blogspot.com/2007/02/pequena-actualizao-do-sabor-saber.html
(e não o vou desvendar aqui... pelo menos já... um dia, quem sabe?)

Primeira escola: sentei-me no chão com eles. Sei que rapidamente se vão aproximando, aconchegando. Esticando as mãos. Participando voz e corpo, sonorizando, cantando e gesticulando, imitando-me em voz afectada de princesa convencida e muito fina, ou de imperador aborrecido. O que eu ri com eles. Até fado uma certa panelinha cantou... Depois um poema antigo: Amigo de Palavra (quem? quem? Que Amigos são esses? Os livros, claro, sempre disponíveis para nós a qualquer hora, em qualquer momento, sem nunca reclamar que têm sono, que têm fome, agora não, agora não, lê-nos mais daqui a pedacinho...). Mas os livros não falam! Disse um deles. Assim não podem reclamar... Tens razão, claro, tens razão mas, já viste se fosses um livro e estivesses sempre escondido numa prateleira sem ninguém para conversar contigo ou pedir-te para falares? Eu não gostava nada, diz o mesmo aluno... Pois é... Os livros são assim como nós... só que falam a língua deles e só falam se os abrirmos e os lermos. Os livros conversam connosco se deixarmos.
Ponderada a solidão de muitos livros esquecidos nas prateleiras, e feita a promessa de que os iriam abrir muitas vezes... lá passámos à segunda história que prometia desvendar o mistério da primeira... e não é que desvendou? Foram eles que descobriram a solução! E depois perguntas: tens filhos? Tens marido? Tens Mãe? e Pai? E como se chamam? E tens bichos? Eu tenho peixes. Eu tenho 5 irmãos. Eu... eles respondendo às próprias perguntas... E lá fui eu e os manos e os bichos e o jardim e tudo o que lhes mostra a humana dimensão de um escritor. A relação simples com a vida.
Logo em seguida o desafio: querem ler para mim? Vão ali buscar um livro. Veio um livro grande da bruxa Mimi e à vez lá foram lendo. O entusiasmo da partilha. O ensaio de interpretação tentando imitar os disparates que eu havia feito com a voz, quando calhou ao gato da bruxa falar...
Coração cheio. Despedimo-nos. Abraço. Sempre bom sempre tão bom.

.


Segunda escola: mais crescidos, muitos, expectativa que se lia nas caras. Cadeirinhas baixas... eu sentada na mesa à sua frente... ou de pé fazendo gestos... ai como eu falo e leio com as mãos... com o corpo todo!
Pedi ajuda. Os efeitos sonoros recriados por eles. Não lhes dizia o que fazer... eles inventavam e surpreenderam-me por várias vezes fazendo algo que eu não esperava.
Há nestes momentos uma magia que se cola a nós todos. E pronto, mais risos, mais sorrisos, que ler pode e deve ser uma festa. Celebrei com a escolha o inesquecível Andersen, mas a primeira história reescrevi-a, a segunda seguia a respiração do autor. Aproveitei para os desafiar à reescrita de histórias antigas. Momento de perguntas oscilando entre o formal e o informal... e quando começaste a escrever poemas? E quando começaste a escrever para crianças? Só escreves para crianças? E quando inventaste o primeiro livro? E por que é que quiseste ser professora? E qual foi o primeiro poema? E o que sentes quando escreves?
Sabem, comecei a escrever logo que descobri que as palavras diziam o que eu queria que elas dissessem... que podia fazer magia com elas. Era um bocadinho mais nova do que vocês. Mas já estou como o Manuel A. Pina... sabem, o escritor? Eu não escrevo para crianças. Eu escrevo. Ponto. Tenho é a sorte de vocês gostarem de ler algumas das coisas que eu escrevo. E escrevo outras coisas... porque gosto... é assim uma espécie de vício bom. Tenho de escrever todos os dias, sabe-me bem brincar com as palavras... Professora pois (sorrisos cúmplices das colegas na assistência) porque sim. Porque gosto muito destes momentos convosco. De partilhar o que sou e sei. De não me esquecer da alegria, só porque a encontro em vocês todos os dias e me lembro que é bom não ter crescido muito para poder continuar a rir. Ainda uma pergunta: E como foi que descobriste este mistério das duas histórias do Andersen? Essa é fácil, digo, lendo muito muito muito... Sou tão curiosa. Achei que havia ali qualquer coisa mal explicada e fui lendo muitas histórias até perceber o mistério da princesa da ervilha que aparecia sozinha na floresta! E sempre que quero aprender mais coisas, adivinhem lá onde vou... a resposta veio rápida: Aos livros!!!!! gritaram todos.

E... e... Ai que ficava ali na conversa e não arredava pé. Mas os vossos horários chamam... Muitos beijinhos. Quiseram despedir-se bem pertinho. Gosto dos olhos deles nos meus.

Tempo, ainda, de visitar a exposição, deixar um mimo, tomar um doce chá e comer um bolo.
Depois encontrar-vos outra vez pelo recreio. A corrida na minha direcção. E mais mil beijinhos de despedida. Muitos repetidos. Os abraços.

Teresa, Teresa!!! Amanhã vou começar a ser uma poeta! Já decidi!
Não faças isso, ri, começa já hoje! Não deixes para amanhã o que é bom!

No carro, novamente, a caminho de casa. Música e bons pensamentos.
A alma leve. O coração cheio.

Sensação de privilégio.
A vida dá-me tanto...
(muitos colchões fofinhos - felizmente em maioria e algumas ervilhas a que temos de ir dando a volta para manter a alegria, a sanidade, o optimismo...)



Agora... acabar os preparativos da nossa Semana da Leitura e ver uns testes de matemática meio esquecidos por entre a azáfama deste fim de semana tão preenchido!








imagens descobertas:


aqui


e


aqui

3 comentários:

Magnificos disse...

Nós gostavamos de ter escutado a história.
Ficamos a saber onde fica Setúbal e que a distância é de 409km.
beijinho

3za disse...

Ai tão longe! Mas tudo fica pertinho com as tecnologias... já viram que num instantinho aqui chegaram!
A propósito de ouvirem a história... vou dizer-vos um segredo... mas digo lá no vosso cantinho para niguém ouvir!
beijinhos e obrigada or terem cá vindo visitar-me!

Step by step making a difference disse...

Mas tu existes? :o) Desdobras-te e redesdobras-te, esticas braços e coração até... até... até... E eles abraçam o mundo e continuam a esticar e a abraçar, feitos de um material tão especial de que só alguns, tão poucos, descobriram a composição.
Bjs cheios de DAR!!!
E.