sábado, fevereiro 17, 2007

Dar-lhes voz...



Oh Inês! E por que é que os homens inventaram essa coisa do lobisomem?

Então era porque os lobos no Inverno quando tinham muita fome por haver pouca comida para eles comerem, atacavam à noite as quintas, as capoeiras e matavam os animais. E assim os homens tinham medo. Não estás a ver os homens inventarem assim um coelhomem, porque os coelhos são animais domésticos e muito fofinhos que não metem medo... tinham de inventar assim uma coisa por causa do medo que tinham...

Oh Inês, por que é que os lobos atacavam mais os animais da capoeira e os rebanhos do que os homens?

Então não estão a ver? Os lobos eram às vezes perseguidos pelos homens pelos estragos que causavam e é como se os lobos soubessem que eles eram perigosos. Então mais valia atacar os rebanhos e as galinhas que tinham dificuldade em se defender. Os lobos aprenderam a ter medo do homem e só mesmo se estivessem há muitos dias sem comer é que podiam tentar atacar um homem...
.

Sabem uma coisa que eu descobri e achei muito gira? É que há um tubarão, que é o tubarão-limão, que é ovovivíparo como nós aprendemos nas aulas. Os bebés desenvolvem-se dentro dos ovos mas dentro da mãe e eles quando saem do ovo e da mãe já vêm assim ... assim... desenvolvidos e prontinhos.

E depois tive curiosidade em saber se o tubarão baleia assim tão grande comia peixes grandes e pessoas mas não! Ele come plâncton! E sabiam que das 350 espécies só mais ou menos 25 é que atacam homens? E que há tubarõezinhos adultos tão pequeninos que têm assim 10 cm e pesam menos que 30 gramas?

Foi mais ou menos assim numa aula da semana que passou, em que foram apresentados com mestria dois trabalhos de ciências (lobos e tubarões) por duas alunas de 10 anos...
Eram para ser cinco minutos de apresentação... mas a explicação viva, o entusiasmo delas e dos colegas fazendo perguntas e as respostas surpreendentes (sem recurso a qualquer papel de apoio... ) abraçaram-nos a todos e o tempo foi passando de aprendizagem em aprendizagem... fiquei a saber coisas que desconhecia e, mais uma vez, confirmei a importância de os colocar no centro. De lhes dar a oportunidade de desenvolver competências de comunicação... de lhes permitir ter voz, expressar interesses, fazer escolhas (neste caso, cada aluno escolheu livremente o animal sobre o qual desejava fazer o trabalho até ao final de Fevereiro - os trabalhos estão a ser divulgados no blogue da turma).

Que um dia saibam usar essa sua voz para transformar o mundo.
Para fazer dele uma casa acolhedora e justa.


.




2 comentários:

Rute disse...

Nós aprendemos e eles também! Educar não é facil mas é possivel! E é gratificante!

3za disse...

Tens toda a razão... gratificante e doce em imensos momentos especiais...