quarta-feira, outubro 28, 2009

Construir relações...

Lá estamos nós a escrever no quadro os nomes dos sólidos que construímos a partir das planificações. Dá trabalho, pois dá. Isto não pode ser só recortar, pintar e colar. Chega a altura em que é preciso transformar os objectos em pensamentos e em palavras que os traduzam.

Oh professora... não posso escrever só pirâmide? (Pergunta o B. entre a preguiça e alguma provocação, habitual no seu jeito infantil e agitado de chamar a atenção nas aulas de dois em dois minutos). Virei-me para lhe responder com outra provocação, mas nem tive tempo. Lá atrás a D. já se adiantava adivinhando o meu pensamento (aprendem tão depressa quem sou e o que considero importante): não não podes porque há muitas pirâmides!
Mas, D., há muitas, mas até podem ser todas iguais! Provoquei a D. para ela aperfeiçoar o comentário. Agora é a R. que tem o dedo no ar: Oh professora não é isso! O que a D. queria dizer ao B. é que há muitas mas são diferentes, com nomes diferentes!
Diferentes como?
Então, podem ter bases diferentes! Se for um triângulo é uma pirâmide triangular! E se for um pentágono...
Alguém de dedo no ar
É uma pirâmide pentagonal...
Enunciaram mais algumas designações. Depois virei-me para o B. e perguntei: Estás convencido?
Estou. (Olhinho feliz de quem conseguiu ser o centro da atenção... mas por uma boa razão... )

-------------

Aula seguinte.
Hoje vamos fazer assim uma revisão geral... mas quem faz as perguntas são vocês depois de eu lançar a primeira. Aquele que a faz, escolhe quem responde... aquele que responde faz uma pergunta e assim sucessivamente... Entusiasmo.
Depois de algumas mais simples sobre designações de polígonos onde até se pedia para soletrarem as palavras (é que numa fichinha feita há dias, apenas 4 em 29 conseguiram escrever correctamente os nomes dos vários polígonos... esaguno, hesagno, hexagono... ... ...), passámos à contagem mental dos elementos de sólidos. Os mais marotos pediam aos colegas que o fizessem para sólidos como: prisma decagonal, pirâmide heptagonal (gostaram de aprender nomes difíceis). Foi delicioso vê-los fechando os olhos, ou olhando para cima tentando visualizar os sólidos e usando as mãos para explicar a razão do número... tem 10 arestas em baixo na base, 10 arestas à volta e mais 10 na outra base... tem 30 arestas! Tem.....
Eu, que não engano ninguém, estava entusiasmada por verificar os progressos e a aula seguia a um ritmo acelerado entre o meu estímulo, pedido de explicações, perguntas de uns para outros... A certa altura o V. diz... A professora quando nós estamos a responder faz assim... E levantou-se imitando os meus gestos e o meus movimentos de entusiasmo pela sala.
Eu: ui! E achas mal?
Não, responde ele, eu cá gosto!
Sabem... é que fico orgulhosa de vocês, o que é que querem! E depois eu gosto muito de Matemática e fico entusiasmada com isto tudo... e quando sinto que vocês estão mais entusiasmados ainda mais entusiasmada fico!
Nota-se nos olhos e nas mãos da professora... (Disse a B. sorrindo).
Oh professora, hoje vai sobrar um bocadinho para treinarmos o hino?
Acho que sim... estão a trabalhar em bom ritmo.

TPC... vai ser como o último... estudar (vai aparecer uma fichinha de treino para escreverem os nomes dos sólidos sem erros!) escolhendo vocês os exercícios que desejarem, autonomamente, para completar os que já fizeram. Confio em vocês.
Pode ser agora a canção? (perguntam eles) Ainda temos 4 minutos!
Sim... vamos lá..
Ai que desafinados! Uma frase de cada vez... repitam comigo afinadinhos... atenção à melodia!

"Os números aos altos, fazem confusão
mas bem arrumadinhos, na minha cabeça
parecem a letra de uma canção..."

Tenho a clara consciência de que é possível numa aula construir relações de vários tipos ao mesmo tempo:
relações matemáticas (que ajudam o pensamento a trabalhar mais rápido)
relações com a Matemática (que ajudam a gostar mais dela)
relações entre nós todos (estamos cada vez mais pertinho uns dos outros, repararam?)

7 comentários:

IC disse...

Delicioso :)

(Eu ainda aprenderia muito contigo se ainda estivesse no ensino... menos cantar, que nisso a minha desafinação é irremediável lol)

3za disse...

:) :) Beijinhos

IC disse...

P.S.:
(À margem do post) Passa no meu cantinho. Não sei se já te aconteceu alguma parte de um projecto que funciona bem nos nossos PCs (é independente do pc), não funcionar ou funcionar incompletamente online. O Fred até esteve a tentar corrigir, mas não deu. Disse-me que há poucas semanas lhe aconteceu o mesmo (um tremor de terra que não se via online), deixou uma nota para quem quisese ver fazer o download, mas no caso o projecto está na mesma óptimo, a falta do terramoto não interferiu com o aspecto "estético", enquanto que no meu projecto o problema interfere, sobretudo por causa de uma só florzinha que inicia o 2º enchimento e não continua, ficando feioso.
Beijinhos

AnaMar (pseudónimo) disse...

Que delicia de aula. quase que me apetece ter Matemática. :-)

(Se pelo menos a maioria das aulas decorressem assim:-))

Parabéns

3za disse...

Obrigada pelas tuas palavras... :) :)

Anabela Magalhães disse...

Delicioso o teu post, Teresa! Li tudinho e senti-me transportada para a tua aula.
beijinho

3za disse...

Obrigada... :) :)
Beijinho