segunda-feira, maio 18, 2009

Scratch-ed (Karen Brennan)... e nós?

Recupero aqui, pela sua oportunidade, um tema recente.

Tenho um sonho: um dia criar um espaço para educadores (língua portuguesa) em torno do Scratch, mas como agora não tenho tempo, irei explorando as possibilidades em conjunto com pessoas interessadas, até à altura em que consigamos concretizar da ideia... e se organizem e activem os parceiros certos, se escolha a ferramenta adequada de suporte e o local para a alojar.
Nome já tenho (a não ser que apareça um melhor): EduScratch.

Já quanto aos parceiros certos... Suspeito que sei quem são os principais suspeitos no contributo educativo:). O grupo que colocou de pé o evento do Scratch Day reúne as condições certas de entusiasmo e optimismo necessárias a um empreendimento deste tipo... em estreita relação com Aveiro e com o portal SAPO Scratch português (fica no ar o desafio para todos! :)

... Esta ideia de uma plataforma de apoio aos educadores não é minha, nem nova. No vídeo de boas-vindas ao Scratch Day, a Karen avisa que brevemente o seu espaço Scratch-Ed será aberto ao público.

Mas é um espaço em língua inglesa, claro. Apetecia algo para a língua portuguesa, certo? Penso que seria interessante aproveitar as sinergias do grupo que organizou o Scratch Day em Lisboa (e alguns mais dinâmicos que tenham sido tocados neste dia) entrelaçando-as com as iniciativas da Universidade de Aveiro e outras comunidades que estão a iniciar a utilização do Scratch, tudo articulado com o trabalho desenvolvido no portal criado pelo SAPO para servir a comunidade portuguesa. Vamos pensando... e o tempo de amadurecimento ajudará a desenhar a aventura. No "entretanto" procurar-se-á uma solução intermédia para manter o entusiasmo aceso, dar resposta às dúvidas e pedidos de ajuda, ligar as experiências em curso e ir continuando a animar iniciativas de disseminação... enquanto de prepara algo para o futuro.
Ninguém que se interesse pelo tema e desenvolva trabalho sobre ele pode ficar de fora... O futuro tem de contar com todos sem excepção, ou será sempre uma coisa parcial e empobrecida, incapaz de revelar todo o potencial que encerra.

-------------------

Qual é a história do Scratch-ed?
Na conferência Scratch no MIT (Julho 2008), assisti a uma intervenção da
Karen Brennan (MIT) que neste momento se encontra a trabalhar na criação de uma plataforma para educadores - língua inglesa (com outros recursos, claro). É o Scratch-ed


scratch-ed
Scratch is a new programming language that enables people to easily construct a wide variety of interactive projects. From community narratives to role-playing games to mathematical simulations to consciousness-raising projects, the potential for creative production with Scratch is boundless. However, for those who are primarily concerned with enabling others' Scratch learning, there is a disconnect between what individuals want to be able to do and the tools that are presently available to them.
The Scratch website presently offers: forums for questions, with a dedicated forum for educators; a page for educators, which has links to videos, reference materials, and writing; links for email-based support. These resources have demonstrated value, as they have (to varying extents) supported a community of more than 145,000 registered members, but they are insufficient to fulfill some needs of educators.
In response to these needs, I am currently developing
Scratch-Ed – a site for educators who support (or want to support) learning with Scratch. In this online space, educators can share stories, exchange resources, ask questions, and find people. If you are interested in receiving updates or would like to help with testing, I encourage you to contact me at scratch-ed@media.mit.edu
If you would like to learn more about the conceptualization of Scratch-Ed, and the underlying opocopo platform, you’re welcome to read the
original design brief, an elaborated design document, or view a http://web.media.mit.edu/~kbrennan/files/scratched.pdf.

3 comentários:

IC disse...

À margem deste post, mas a ver com o Scratch:
Só voltei a ter a Inês cá em casa hoje. Esteve todo o tempo agarrada ao scratch :)))
Os pais adoraram as fotos e o vídeo, e acho que a Inês vai pôr a mãe a aprender.
E a Inês gostou de estar com a tua aluna e diz que aprendeu mais coisas. (Ao contrário do que me parecera, não se importou com o "monopólio" do rato)
Já andei a investigar como se aloja um projecto e, ao contrário do que pensei, um dos códigos dá para pôr um projecto a funcionar num blog (a Inês tem um blog, mas ainda falta tempo para fazer o percurso todo).
Pronto, já te dei as notícias. É possível que venha a postar sobre as nossas aprendizagens no scratch - minha e da Inês.
Beijinhos

3za disse...

Tu sabes a imensa alegria que estas notícias me dão... O sinal das sementes aos pouquinhos a começar a florir. Tudo aquilo com que sonho, afinal. Tento fazer a gestão, todos os dias, das questões de monopólio... pois o equipamento é pouco e muitas as mãos... Troco pares... por vezes deixo-os ficar sozinhos... vamos variando. O meu recio ali era aInês ter ficado desmotivada... mas tb sei e vejo no Clube que Às vezes o que parece não é... e que os miúdos encontram formas de dar a volta às coisas e aproveitar tudo o que podem... mesmo em situações mais adversas... Ainda bem que ficou o apetite e o desejo de avançar! Fico feliz! Vai dando notícias das aventuras! Ela já tem conta no prtal PT? É feito com um e-mail qq dela... Não é um processo muito directo, mas pronto... portuguese style (no MIT é mais fácil). Quando ela tiver, partilhem para eu poder ficar amiga dela... juntamente com os meus fofos e... assim faço-a membro honorário do Clube à distância e vou divulgando os projectos dela no blog do Clube... :) :)
Muitos beijinhos

3za disse...

recio é "receio" :)