terça-feira, setembro 25, 2007

Dinossáurios num frasco de "maionnaise"...

... A aula decorria animada, com os alunos explicando por palavras suas aquilo que sabiam sobre as origens da Terra e da vida que a povoava há milhões de anos... Custa-me começar o 5º ano como se a vida que vão estudar fosse a vida que sempre existiu e lá avanço para uma unidade zero de enquadramento (depois, se o programa não se cumprir assim exactamente e tal como está... lá vem negativa no parâmetrozinho...)

Oh professora, havia uns animais diferentes, uns tubarões com dentes parecidos com fósseis! Eu sei que havia os tigres com dentes de sabre e os mamutes.
Sabe professora, ao princípio era assim uma coisa com aspecto de gelatina branca no mar... quer dizer... não não, não era isso que eu queria dizer, era assim uma coisa que parecia um micróbio...
E havia os dinossauros, não era professora?
Bem... Isto é que é recuar no tempo! Estamos quase quase a chegar ao princípio da vida. E antes? O que aconteceu antes de haver vida?

... O tempo gastou-se e adiámos a discussão. Nos cinco minutos finais ainda consegui dizer: vou ensinar-vos uma receita para prepararem uma "poção" malcheirosa que, se tudo correr bem, permitirá que tragam para a aula uns seres parecidos com os primeiros que habitaram a Terra, que observaremos depois com o...

Oh professora! (Olhos abertos cheios de entusiasmo) É uma receita para fazer dinossauros?
Calma! Não! Ri-me. Para isso (ainda) não tenho uma receita! Podes sempre escrever uma história imaginando que é isso que vai acontecer... e depois, de repente, acordas na história e era um sonho!
Deixem-me continuar. Agarram num boião de vidro, daqueles das compotas grandinho, com tampa (a tampa é para depois poderem transportar o caldo até à escola)... Pode ser um de "maionnaise", professora? Sim, pode. Tem é de ser grandito. Colocam água, um bocadinho de palha, de salsa, de coentro, umas ervitas e deixam ao ar livre no quintal, ou numa varanda, até ficar uma coisa mesmo muito malcheirosa e com mau aspecto... (as carinhas contorciam-se a imaginar o cheiro)

E depois?

Depois eu digo quando devem trazer, para podermos ir ao laboratório e observar com o microscópio o que se passa no líquido...
Oh professora, vamos ver micróbios?
Nunca respondo. Eles que vejam com os seus próprios olhos...

(Antes de sair ainda ouço o F. suspirando baixinho: giro giro era a gente conseguir mesmo fazer dinossauros no frasco...)

3 comentários:

Teresa Lopes disse...

:)

Herr Macintosh disse...

Bem... Se já temos dinossauros nos gabinetes porque não em frascos? E já que estamos com perguntas existenciais: se um professor num ano der positiva a todos os alunos e no ano seguinte repetir a proeza tem má avaliação no parâmetrozinho porque não evoluiu? Perguntas... perguntas...

Prof. Teresa disse...

;-) ;-) :o) (esta é para o Herr)

beijos