quinta-feira, agosto 02, 2007

No combóio descendente (e ascendente)...

Partimos de madrugada.
Ver nascer o sol antes das 7 da manhã na ponte 25 de Abril.
(Bom acordar com as galinhas...)



Direcção?
Novamente Sta Cruz... de regresso a mais uns mimos para matar saudades. Primeiro passar por Lisboa.

Já por lá, pela Praia de Sta Cruz, experiência nova: o combóio mais animado em que já viajei e que dá a volta à vila, várias vezes por dia. (Eu quero um combóio destes para mim!)



Os miúdos deliraram!
(Ora os miúdos... somos nós também, é claro!)

Agora, para completar o cenário, imaginem que estão a ouvir...

Zeca Afonso : Comboio Descendente

Música: Zeca Afonso Letra: Fernando Pessoa


No comboio descendente
Vinha tudo à gargalhada.
Uns por verem rir os outros
E outros sem ser por nada
No comboio descendente
De Queluz à Cruz Quebrada...

No comboio descendente
Vinham todos à janela
Uns calados para os outros
E outros a dar-lhes trela
No comboio descendente
De Cruz Quebrada a Palmela...

No comboio descendente
Mas que grande reinação!
Uns dormindo, outros com sono,
E outros nem sim nem não
No comboio descendente
De Palmela a Portimão

3 comentários:

Herr Macintosh disse...

Quando, na semana passada, estive em Santa Cruz também achei piada ao comboio (tirando o facto de que o apanhei logo à entrada e tive de o aguentar quase até à praia do Pisão).

B@!!! disse...

Adorei as fotos do nascer-do-sol!!! Aquelas cores todas, tornam o céu lindo lindo! O comboio é muito engraçado!!! =)

3za disse...

;)