terça-feira, dezembro 12, 2006

Aula Bola de Cristal


Dia de conversar com os alunos sobre avaliação.
Comparar impressões, recolher a visão de cada um sobre o seu próprio desempenho.

Exercício que não é fácil nem para eles, nem para nós. Importante, sim, o diálogo, a reflexão que resulta de tudo isto... mas o modelo em que nos baseamos não é para mim o melhor, portanto... Não é por aqui que vou hoje. O tempo não chegaria.

Sobrou pouco tempo. Apeteceu-me provocá-los, desafiá-los...
Expliquei que me atrasava sempre um pouquinho no 1º Período, mas que depois recuperava porque eles começavam a sentir-se mais confiantes e se podia avançar depressa nos conteúdos mais simples (e repetidos do 1ºC), demorando nas questões novas e nas verdadeiramente importantes como a resolução de problemas.

Sabem, daqui a uns tempos vamos aprender a resolver expressões numéricas. É uma coisa nova para vocês, mas não é difícil... o que interessará é a forma como as usarão para resolver problemas... mas a técnica em si não custa muito. Acho que se vos explicasse agora assim a correr (já não temos muito tempo) vocês até percebiam e, depois, um dia no futuro, quando lá chegássemos iam lembrar-se de algumas coisas... o que acham?
Quiseram, claro... O desafio de descobrir se compreendiam um assunto que só abordaríamos no futuro foi sedutor... ainda mais com a professora a dizer que era só por curiosidade e que se ficassem com dúvidas nem havia problema... afinal, era uma espécie de viagem ao futuro em segurança e sem compromisso. (Diz-me a experiência que ficam mais leves, menos tensos e abrem-se mais facilmente à experiência de aprender... não dou ponto sem nó.)

Sem preocupações, avançámos.
Até de potências conseguimos falar... do metro quadrado, do metro cúbico... vêem... vocês até já conheciam potências! Lá fomos fazendo tudo a correr porque o tempo era realmente muito pouco. Eles a gostar da corrida. Sorrisos na cara. No final escrevi no quadro uma enorme expressão com todas as operações e uns parêntesis marotos! Oh professora! Parece a fórmula de um cientista! Isso deve ser difícil! Não é não, outra voz, é só seguir aquelas regras da prioridade do trânsito! Não sei se sou capaz... Podemos fazer? Podemos? Eu cá acho que consigo...
Antes de avançarmos disse que ia partilhar um segredo - a magia necessária para não nos perdermos numa tarefa que pareça muito complicada. Nunca resolvemos mais do que uma coisa de cada vez... Não queiram fazer tudo, pois assim é muito assustador.
Vamos lá... lembram-se do que eu disse? O que é que fazemos primeiro? É aquela coisa da potência... sim, então... cinco ao quadrado é cinco vezes cinco que dá... dez!!!!!!! Gritam em coro alguns. Rapidamente perceberam pela minha cara a escorregadela e corrigiram... vinte e cinco!!! E depois, a seguir? São os parêntesis... é a conta que está lá dentro!... E depois copia-se tudo o que não se fez ainda... e...

Lá fomos devagarinho, fazendo uma coisa de cada vez e eles nem queriam acreditar que finalmente o fim chegava. Simples.
Nem é difícil! Eu cá ainda tenho umas dúvidas! Foi giro! Foi assim uma viagem ao futuro!
Pois... mas como vos disse, o que depois vai ser engraçado é usá-las para conseguir encontrar a solução de um problema... a técnica para a resolver, não é complicada, tem de se perceber e ser capaz de aplicar, mas não chega!
Dei exemplo de um problema simples para lhe associar uma expressão... o João e os seus berlindes ganhos, perdidos, perdidos, ganhos... riram.
Acho que perceberam. Quanto mais peço, mais tenho. Sempre foi assim.
Depois é só amparar os que mais precisarem. Se exigirmos pouco, teremos... nada.

Disse-lhes ainda: é um segredo nosso. A estas aulas vamos chamar "Aula Bola de Cristal"... porque de vez em quando vamos até ao futuro ver o que aprenderemos qualquer dia...
Foi a professora que inventou estas coisas? Fui! Não acreditam? Eu já fazia isto com outros alunos, mas só agora mesmo é que me lembrei do nome (a mais pura das verdades)!
Oh Miguel, deve ter sido mesmo ela a inventar, a professora até inventou sólidos invisíveis... (esta é outra história... talvez um dia a conte.)

Vá, vamos escrever o sumário...
E podemos dizer que foi uma Aula Bola de Cristal?
Podem... Fica assim:
Avaliação do trabalho realizado no primeiro período.
Aula Bola de Cristal: expressões numéricas.




2 comentários:

Filipa disse...

E eu que lembro tãooo bem das viajens ao futuro ... por falar nisso já há uns tempos que me apetesse fazer uma e por isso adeus professora! Vou dar uma voltinha até 2007 ... como será o ensino de Matemática por lá ???
(hihihihihihihihi)
Bem espero que a sua turminha tenha a sorte de ter muiiitas mais aulas bola de cristal :D
Beijinhos e saudades
Filipa

3za disse...

SAudades imensas de vocês , Filipinha... Boas viagens ao futuro!