sábado, março 13, 2010

A arca dos contos (das duas Teresas) e uma história da outra Teresa

Há uns anos procurei intensamente esta arca, de Maria Teresa Meireles e agora de Teresa Lima (quando estava esgotadíssima, a ilustradora era a Danuta e existia a promessa de nova edição). Entretanto a vida levou-me na sua cascata e esqueci-me dela.

Ontem descobri-a por acaso e não me escapou.

Surge agora editada pela "Apenas" e é um objecto que recomendo muito...




Retirei (quase) ao acaso algumas cartas...

Personagem humana: fada
Personagem animal: lobo
Espaço: ponte
Palavra-chave: transformação
Acção: emudecer
Objecto mágico: livro
Caracterizações: perigoso

E eis o que aconteceu:

Era uma vez um lobo que tinha uma varinha mágica e uma fada com unhas grandes e dentes aguçados. Ele não era perigoso e encantava quem lhe pedisse, ela não era meiga nem gentil. Havia também um livro vazio e solitário que queria contar uma história, mas não a queria contar assim e pediu a ambos que trocassem de lugar para as coisas ficarem mais como deviam ser, fosse lá o que isso fosse.
Ora cada um deles vivia de um dos lados de uma ponte que ajudava quem precisasse a trocar de margem. Nunca nenhum havia visitado a outra ponta da ponte e pareceu-lhes que poderia ser uma excelente oportunidade de conhecerem o seu lado, mas olhado de outro lado.

Esperavam que a aventura pudesse permitir a tal transformação, mais desejada pelo livro que por eles próprios, habituados que estavam a ser como eram. Mas a ideia de aparecer nas suas páginas e ficarem famosos era assim como, para alguns, aparecer na televisão: apetitosa.
Assim foi. Percorreram a distância, cruzaram-se a meio cumprimentando-se e chegaram ao outro extremo. Aguardaram. Aguardaram mais um bocadinho. Nada. O outro lado nem parecia o mesmo sem si. Era assim como olhar para um espelho e não estar lá. Ou parecer outro sem o ser.
O livro esperava a transformação ansioso a ver se finalmente conseguia escrever a história que lhe apetecia, com personagens reais iguais às que havia imaginado. Nada acontecia.

O silêncio que se escutava era quase assustador. Até o rio debaixo da ponte emudeceu ao olhar para a cara triste e vazia do livro que perdera toda a esperança de se preencher com as palavras que desejava.
Foi preciso eu explicar-lhe que as histórias são como queremos, que nelas podemos inventar quem quisermos, como nos apetecer, para os barulhos todos regressarem e o mundo desemudecer. Ouviram-se algumas gargalhadas da fada e do lobo enquanto trocavam novamente de lugar e a fada fazia menção de o comer com as unhas postas em jeito de garra, ao mesmo tempo que o lobo, com gestos delicados, fingia que a encantava com a sua varinha mágica. O rio continuou a deslizar entre ruídos de conversa com as pedras das margens e os peixes que aninhava em si. O livro abriu-se num sorriso e pôs-se a contar histórias em voz alta.
A histórias, essas, já as conhecemos. Um lobo muito mau a comer avós, a assustar meninas ou porquinhos... fadas sempre boas aqui e acolá.
A vida real é para ser real.
Os livros, se quisermos, podem ser outra coisa.

3za




6 comentários:

Fantasia Musical disse...

Por acaso, sou uma das felizardas que tem um exemplar da primeira edição; ainda com desenhos de Danuta Wojciechowska e não de Teresa Lima. Não sei de qual gosto mais, pois são dois estilos muito diferentes, mas igualmente interessantes. Tal como tu, esperei ansiosa pela reedição desta obra e já adquiri vários para oferta. Quando um professor amigo faz anos, já sabe que terá uma Arca como prenda :D

É, de facto, um livro/jogo FANTÁSTICO! Tenho-o usado vezes sem conta na escola, mesmo não sendo professora de Língua Portuguesa. Uso-o para criar histórias e sonorizá-las, ou ainda na Área de Projecto para Teatros... Ah, e claro, nas substituições. Enfim, muito funcional :D

Isabel Preto disse...

Pois, eu uso muitas vezes a "arca dos Contos", mas tenho a 2ªedição, com ilustrações da Teresa Lima, mas tenho tido resultados fabulosos.
É realmente um material imprescindível, para professores de português.
Beijinhos.

Hugo Correia disse...

Entrevista a Carlos Fiolhais. Há uma parte referente ao ensino que poderá te interessar ler.


http://dn.sapo.pt/revistas/nm/interior.aspx?content_id=1518513


Uma boa semana.

Biblioteca Mil Maravilhas disse...

Olá Teresa... já tinha ouvido falar e até já me foi proposto pela colega responsável pelo PNEP para o ano lectivo que vem colaborarmos utilizando um material semelhante... Mas já que está aí outra vez, vou adquirilo para a minha pessoa, até porque segundo li num comentário, para o ano também pretendo dinamizar um grupo de teatro e já reparei que tem muitas potencialidades... Obrigada pela partrilha:) Bjs

3za disse...

:) Obrigada a todos pelo reforço e obrigada, Hugo, pela sugestão!
Boa semana!

Raul Martins disse...

Uma sugestão que vou aproveitar. Não conhecia esta "arca" nem das "viagens" fantásticas que com ela podemos fazer.
.
Cape diem!