quarta-feira, outubro 25, 2006

À Noite as Estrelas Descem do Céu

Os dias sucedem-se numa vertigem que atordoa.
Bebo livros breves, suaves, nos intervalos que o tempo não me oferece e lhe roubo.

Este livro bebo-o a qualquer hora, de qualquer maneira... aos bocadinhos, aqui e ali, repetindo visitas só para serenar. Imaginar que vou mais devagar
Este livro percorrro-o sem pressa, sem caminho certo, sem pensar...
Abro-o assim sem olhar e onde entrar fico. Caminho nele sempre para trás levando o tempo a recuar sem saber.


À noite as estrelas
descem do céu
e vêm boiar no rio.

.

No escuro da noite
o sol
aguarda a sua vez.




Experimentem este sabor.


ADENDA: E o amor pelos livros e pela leitura pode ser doença propícia ao contágio...

Vejam aqui:
http://creazeitao.blogspot.com/2006/10/sorriso.html

2 comentários:

Teresa Lopes disse...

Já experimentei... e gostei, como não podia deixar de ser.
...
Os comentários andam muito arrepiadinhos, não é?
Pois... nas escolas TRABALHA-SE!
Ainda bem que posso dizer-te "Até logo!"

3za disse...

Bom poder cruzar-me para muitos comentários ao VIVO!!!! Anda tudo em correria tal que nem se respira... quanto mais ...
Beijinho