terça-feira, setembro 16, 2008

Little girl blue...


(ler ao som da música)

Ninguém começa apoios no primeiro dia de aulas... mas a DT avisou-os da hora e dia e eles apareceram. Elas.
E eu estava à espera de braços abertos. Não as conhecia. Elas sabiam quem eu era e vieram ao meu encontro. Sentámo-nos no jardim. Para quê uma sala se o sol ainda brilha neste restinho de Verão?
Pedi à C. que falasse um pouco de si... Do que tinha acontecido com a Matemática no ano que passou.
Eu cá baldei-me umas vezes. E muitas vezes ia para a rua e para o GOD (sem ironia... Gabinete de Orientação Disciplinar...)
E este ano? O que decidiste antes de começar o ano?
Prometi a mim própria que ia melhorar porque sei que consigo.
Gosto que prometas a ti própria. Não quero que me prometas nada a mim. Sabias que quando fazes coisas que te prejudicam é a ti que roubas o tempo e as coisas boas que seriam possíveis se decidisses fazer diferente?
Senti nascer ali afinidades. Talvez, quem sabe, um ano diferente.
Adoro História e odeio Matemática.
Já percebi... Mas talvez eu consiga... Sabes que vamos estar muitas vezes juntas... Matemática, Ciências, Estudo Acompanhado, Área de Projecto, Apoio...
Estou feita...
Estás feita porque vais acabar a gostar disto tudo e nem vais ter tempo para vir para a rua um bocadinho...
Pois é... Sei lá... podia vir para a rua em História... Ah não! História não que eu adoro.
Estás feita - disse-lhe a sorrir.
Ela riu-se. Pois estou.
A N. chegou mais tarde. Veio há uns poucos meses de um país de África pouco habitual (embora ex-colónia). Sorri, pouco percebe. Não quis falar muito de si. A algumas perguntas dizia: não sei dizer... E eu pedi que me pedisse para parar sempre que não percebesse... Também não gosta nada de Matemática, isso ficou claro nas caretas que são linguagem universal. Diagnóstico simples.

A seguir foi a nossa primeira aula de Matemática. A C. havia pedido para se sentar à frente. Ela e a N. Foi a primeira coisa que fiz: cumprir o desejo. E pedi à C. que ajudasse a N. com os registos, porque confiava nela e achava que ela ia ser um excelente apoio para a N., até para a Matemática porque num instante as dificuldades iam passar.
Quer vir também ao Clube Scratch time... mais de 20 dedos no ar na turma... que é como quem diz a turma quase toda quer vir mais cedo para a escola para estar comigo mais um bocadinho de volta dos computadores e da programação.
A C. na aula de Matemática fez os registos todos. Serena ajudou a N.
E eu pensava... como já gosto destes miúdos mesmo sem os conhecer (quando aprofundarmos os laços então...)

Miúdas e miúdos às vezes tão cheios de uma solidão a gritar por um carinho, uma atenção. Muitas batalhas a vencer com nomes diferentes.
Estarei do vosso lado.
São a minha equipa. Têm de ser uma equipa e não um conjunto de pessoas, foi o que lhes disse. (Sinto nesta turma que estamos longe ainda de ser um grupo... muita exclusão... clivagem entre melhores e alunos estrangeiros e outros novos na turma e alunos com dificuldades. Essa será a minha primeira luta - uni-los em torno de algo. E não vai ser fácil, já percebi.)

Precisei de papel para fazer este diagnóstico e começar já a trabalhar para resolver os problemas? Não. (Mas esta semana vou assustá-los com o enorme papel A3 frente e verso que lhes colocarei à frente... depois passarei umas horas a corrigir 400 páginas de testes diagnósticos de M e CN no fim-de-semana - 4 páginas por teste x 4 turmas x 25 - ... não sei se no próximo ano continuarei a alinhar neste pesadelo. Sinto que desta forma os estou a trair. Afinal de contas o que poderia acontecer se me recusasse?)

Quer acreditem quer não, minhas meninas azuis, temos semelhanças nós três. Alegrias, tristezas, solidões, luzes e escuros convivendo no interior da caixinha de segredos que somos. Sei como se sentem. Por alguma razão concederam-me o dom de vos sentir por dentro, como a mim própria.
Se acreditarem nisso, se confiarem em mim, juntas aprenderemos muito este ano. Cresceremos muito.

4 comentários:

Daniela disse...

Um bom ano Teresa com mt amor e luz... gosto mt de ler as tuas histórias!

3za disse...

Obrigada pelo carinho! Para ti também! Beijinho

Luis disse...

http://matematicanacidadela.blogspot.com/2008/09/ser-professor.html

Um Post de uma professora de Mat. Cascais, que tem esta frase do George Steiner
Ser professor
"Despertar noutro ser humano poderes e sonhos além dos seus; induzir nos outros um amor por aquilo que amamos; fazer do seu presente interior o seu futuro: eis uma tripla aventura como nenhuma outra."

3za disse...

Gosto do sábio Steiner... :)