sábado, abril 18, 2009

Count Your Blessings (Instead of Sheep)

Uma pessoa vai assim, pé ante pé, à hora de almoço ver das rosas depois da chuva.
Vai porque precisa de ar. Vai porque tem já o vício de ir. Vai porque se não for... tem rosas para quê?

E começa o caminho...


De repente, na base desta rosa sobre as pedras, um Papilio machaon macho (de menor dimensão) luta para se equilibrar. Percebe-se que acabou de sair do seu casulo e de uma longa hibernação nos meses de Inverno. Precisa de um lugar mais calmo, de um pouco mais de sol no alto.
Ofereço-lhe a mão, trepa por ela como se fosse um ramo. Tenta voar, mas ainda é cedo. De novo a mão. Viaja alguns metros nela até ao lugar certo e torna-se o centro do jardim. Escolheu mal o dia. Não está calor, chove de vez em quando.
Mas conseguiu os raios de sol suficientes para, pouco tempo depois, levantar voo e partir para parte incerta. (Não sem antes se deixar prender nas memórias, em breves e serenos registos digitais).


(vale a pena ampliar as últimas duas...)


Lembrei-me de repente de uma cena de ontem que também captei com o mesmo cuidado e ternura. A M trouxe para a escola a sua guitarra azul. Na aula de Matemática da manhã suplicaram que lhes cantasse qualquer coisa nos últimos dez minutos. Afinei rapidamente de ouvido o instrumento e ofereci-lhes o Grandma's feather bed do John Denver e o Rock da Matemática. O intervalo esgotou-se em conversas e mimos. O intervalo, sim. Porque a escola agora só tem tempo nos intervalos que deviam ser para descansar. O resto dos minutos foi roubado por razão nenhuma e por causas sem sentido.

À tarde, quando subi as escadas para a sessão de clube, encontrei algumas das alunas assim como se vê, ao lado da porta esperando por mim.


O encanto não foi menor do que o que sinto com as borboletas e as flores.
Por isso pedi-lhes para fixar o momento e junto aqui, no mesmo canteiro, as imagens mais belas dos dois últimos dias.
Privilégio mágico este de poder conviver com tantas coisas boas. Podia dizer que era sorte ou qualquer coisa assim, mas também sei que a sorte só funciona bem se repararmos nela.


E, sim, quando vou para a cama e não consigo dormir...
"I count my blessings instead of sheep"

5 comentários:

rabina disse...

Estou a ver que todo este sábado foi de inspiração.
Ainda não percebi a "magia" que leva essas belas borboletas (e não só...) a rondarem sempre as flores desse jardim. É que está lindo!...

Girafa cor de rosa disse...

Deliciosas partilhas:-)! Bom Domingo!

3za disse...

Obrigada... isto parece um íman...
Mas, Rabina, se procurares nas memórias da teia, vais perceber que a certa altura estudei e li... e aprendi... como fazer um jardim mais apetitoso para aves e insectos... Foi assim que comecei a ter, em cada vez maior número, estes visitantes extraordinários... :)
Bom Domingo para ambas!

rabina disse...

Ok. Vou tentar descobrir para tentar fazer o mesmo no meu.
Pode ser que consiga.
Boa semana.

3za disse...

Algumas plantas chave: budleia... arruda... lantana... hebe...plumbago... glicínia... e plantas com "bagas"... de que os passaritos gostem...