segunda-feira, janeiro 22, 2007

Uma aventura... com sabor doce

Acordei às 5 da manhã...
Já passava das 6 quando me meti à estrada sozinha... chuva, noite, nada apropriado para uma estreia.
Sim, confesso, foi a primeira grande viagem da minha vida sozinha dentro do carro.
Grande... grande... perguntam vocês: foste a Dakar rapariga?

Não.

Fui a Torres Vedras...
Só quem me conhece bem pode entender a classificação de proeza a tal viagem...

Sim, confesso. Muito despachada para tudo, mas conduzir, só mesmo aqui pelas minhas bandas.
Tenho desculpa. Cresci sem carro na família. Tirei carta tarde. Pouco tenho conduzido para além deste pequeno reino que habito.
Hoje a estreia. Ontem revia os meus apontamentos (não se riam, vá lá...) para conseguir chegar à Ponte Vasco da Gama, avançar pela A8... e até instalei o google earth para poder ver as 5 rotundas que separam a saída sul para Torres Vedras da Escola Básica 2,3 de S. Gonçalo... minuciosa eu. Telemóvel carregado... apontamentos e números de telefone na mala... mapa... adrenalina na alma. Não faltou nada. Quer dizer... faltou carregar a máquina fotográfica...

Pouco depois das 7 e 30... lá estava eu estacionada à porta, sossego, silêncio... Consegui.
Respirei fundo. O dia acabava de nascer (bem falta me fez na estrada... podia ter nascido mais cedo só para mim).

Uma escola, sim. Foi a uma escola que fui. Pois... estar com alunos. Mais alunos. Que não são meus mas são. Também são. Porque já beberam um bocadinho de mim e fui lá para conversarmos sobre isso. Que maior motivação poderia existir para tamanha aventura? Tudo aconteceu durante a formação que fiz há tempo. Nela alguém abriu o jogo. A Teresa Martins, formanda como eu, aproveitou a oportunidade e eu disse logo que sim. Que iria à BE-CRE estar com meninos. Aconteceu hoje. E finalmente fiquei a conhecer mais esta voz digital. E foi bom com a cor de um abraço. Também eu, Teresa, gostava de te ter por perto. Há afinidades assim.

(Matilde! Estás aí? Sabes o que isto significa? Já consigo chegar a Campelos sozinha! Bastarão umas breves dicas! Depois combinamos! Não está esquecido...)

E foi muito doce. Leram para mim. Escritos deles, escritos meus. Mimaram provérbios... eu no banco a tentar descobri-los de dedo no ar.

Falámos de livros, de poesia, do que inspira os escritores, de borboletas, até cantámos juntos... Descobrimos vocações, sorrimos, partilhámos tudo o que podíamos partilhar em tão pouco tempo, para que a saudade depois fosse mais pequena.

No fim ainda mais mimos... pastelinhos de feijão, uma flor que é um coração bem cheio desta manhã tão especial por tantas razões.

.





A adrenalina matinal transformou-se numa paz suave.
A certeza de que somos sempre capazes de ir mais longe do que imaginamos.
Que é preciso, tal como na matemática, tal como na escrita, reagir aos desafios para crescer e alcançar os sonhos.
Enfrentar alguns riscos.
(Algumas das mensagens que deixámos a flutuar no ar. Para eles. Para mim.)

Com a vossa ajuda, hoje eu cresci mais um bocadinho.
E concretizei um sonho.
Gostei muito de vos ter conhecido!
.
ADENDA:
À entrada da BE-CRE: marcadores, textos, ilustrações dos alunos. Uma foto apenas, sem flash... antes de a bateria se recusar a mais. Mas lê-se nela todo o empenho e carinho. Não é preciso mais...

4 comentários:

Tit disse...

Teresa!... já aqui cheguei =)
E que bela recepção!..:)

Pois bem - para Campelos não é difícil, de qualquer maneira, podemos combinar a partida de Torres Vedras, mas envio-te entretanto um mail para combinarmos. Já pus a minha coordenadora da Biblioteca a magicar umas ideias ;)

Muitos beijinhos e até breve - assim ao vivo! =)

3za disse...

Quando vamos visitar a mana... passo torres e saio em lourinhã/Vimeiro... juro que vi uma tabuleta (um dia destes em que resolvemos andar por ali) a dizer CAmpelos... penso até que devo ter estado muito perto... Se for seguir pela A8 e sair onde diz Campelos... com mais umas dicas chego lá! Não lhe posso perder o treino... ;) Só é preciso é combinar com calma a data... tenho algumas coisas já marcadas! Beijinhos

Maria de Jesus disse...

Teresa,... só agora aqui cheguei!? Já aqui cheguei?! É que.... de teia em teia... e sem GPS ( !!! ) vamo-nos perdendo, vamos encontrando flores, borboletas, textos e pretextos para ir adiando o que se quer fazer... ou o que julgamos n ser capazes de fazer.
Sou a Jesus, da S. Gonçalo.Não sei como aqui vim parar... e logo hoje!...mas, cá estou, só para te saudar.
Um abraço amigo e de admiração por esse GRANDE coração. Há novidades? a escrita?
Bjs.
Jesus

3za disse...

Olá minha querida Jesus! Claro que percebi logo quem eras, mal vi o nome... a única Jesus que conheço...
Fico feliz por teres dado comigo, com a teia... estou bem... cansada neste final de ano cheio de tantas coisas... mas bem. Ainda hoje fui visitar mais uns meninos...
A escrita avança como pode no intervalo dos deveres... e a gaveta tem projectos novos.
Já estive aí perto em duas escolas entre Abril e MAio: Ventosa e CAmpelos... Parece que o Oeste passou a ser também a minha terra do coração! Obrigada pelas tuas doces palavras!
Muitos beijinhos!!!