sexta-feira, agosto 22, 2008

How People Learn: Brain, Mind, Experience, and School

É, no momento, entre muitas outras, uma das leituras que me embala. Mais como revisão (consta há muito na lista de ligações da teia).
.
Neste livro ficam claras muitas das razões da investigação que, por um lado reforçam a minha confiança para continuar no caminho de aprendizagem que tenho feito por minha conta e com os meus alunos e, por outro, que sustentam todas as críticas que são feitas às mudanças sem nexo que agravarão nos próximos anos os resultados e o sucesso na formação dos cidadãos (não falo de sucesso escolar fabricado com números - a realidade grita mais alto).
.
Quando se aceita gerir os desígnios educativos de um país, seria boa ideia pelo menos ler algumas obras de referência. Este recurso está disponível online AQUI gratuitamente (embora eu tenha optado pelo livro... acho que percebem porquê) e é um bom sítio para começar. Não é, claro, um bom recurso apenas para governantes, ou investigadores...
Os professores deveriam ter tempo para estas leituras, pais interessados deveriam esclarecer-se, políticos interessados também, pessoas que falam do que não sabem, pessoas que escrevem obras superficiais populistas e apressadas, confundindo conceitos, deveriam lê-lo (e, já agora, às obras originais... os clássicos, também) e poderiam começar por lê-lo todos os que verdadeiramente se preocupem com o futuro do país.
.
Acabei de saber que, mais uma vez, a população inclui professores, carteiros e bombeiros (e, ainda, médicos e polícias) nas profissões que lhes oferecem mais confiança. Não posso deixar de pensar por que razão quem está lá por cima não escuta os nossos argumentos... e, sobretudo, os argumentos de quem há tantos anos se dedica ao estudo das questões do ensino e da aprendizagem...
.
Veio-me de repente à lembrança um cartoon que era uma referência no curso de Geologia... Dois engenheiros olhavam para a Torre de Pisa inclinada e um deles dizia: ... pelo menos poupámos dinheiro por não ter contratado um geólogo!
.
Commission on Behavioral and Social Sciences and Education (CBASSE)
.

11 comentários:

Teresa Lopes disse...

Abriste-me o apetite, miga. Vou mandar vir este livro.
Depois de tanta baixaria que tem andado pelo meu espaço cibernáutico, estou mesmo a precisar de uma coisa assim. :)

Beijo
13A

Mónica disse...

Olá!
Daqui fala do norte, fui tua colega à 2 anos na escola de azeitão e na altura também andava nestas andanças de mestrado... Pude verificar os imensos post-its que tens no livro (que é fantástico tive oportunidade de o ler à 2 anos), e desculpa-me o atrevimento mas concerteza já terás uma ferramenta de apoio para bibliografia!? É que eu vi-me em dada altura em semelhante emaranhado de papeis que tive de recorrer a estes préstimos e descobri um programa (Reference Manager)que faz coordenação com o Word na inserção de bibliografia automáticamente,entre outras vantagens... Mais uma vez desculpa a intromissão...Beijinhos e perserverança. Mónica Oliveira (geografia)

3za disse...

Fazes bem Teresinha! Vais gostar.
E lembro-me bem de ti mulher do norte :)! E nada de pedir desculpa! Não há intromissão! Há carinho e partilha... essa é a filosofia deste recanto :)Obrigada pela referência... uso uma coisa semelhante chamada "endnote"... tens toda a razão... ajuda imenso! Beijinhos às duas!

Herr Macintosh disse...

Teresa,

mas não vês que o livro está em inglês e prá gentalha do ME isso é muito complicado. Para além de que a malta já não precisa de ler mais nada porque já são expertos :-D .

Herr Macintosh disse...

Mónica,

quem utiliza o Word 2007 (PC) ou 2008 (Mac) tem acesso a uma ferramenta razoável para as bibliografias (já me poupou muito tempo). Depois há mais umas ferramentas (mais ou menos escondidas) que ajudam nestes casos.

3za disse...

Ai que mauzinho! E eu aqui a ser tão pés-de-lã... :) (Como eu tenho um W2003... não tenho dessas magias...)

Herr Macintosh disse...

São tantas as coisas que nem me lembrei de te dizer (disse a outras pessoas que estão a fazer o mestrado... por isso sou só semi-mau). As outras coisas de eu falo (referências, referências cruzadas, índices, etc.) estão disponíveis no 2003.

3za disse...

O mauzinho não tinha a ver com as referências... era com os "expertos"... ;)

Herr Macintosh disse...

Ah! Se era em relação ao expertos então sou mesmo muito mauzinho. É que já não tenho mesmo pachorra para essa gentalha. :-D

IC disse...

Ainda bem que recordas esse livro. Também o recomendei em tempos no meu cantinho quando o adquiri, apesar de até hoje ainda só ter lido um bocado. Mas confio muito nos autores/editores, especialmente na Ann Brown.

Quanto ao Word, indíces, etc., já no velho word 95 uma coisa que me deu muito jeito nas leituras para a tese de mestrado foi o índice remissivo, para me orientar nos montes de notas que ia tomando no word (já nessa altura não gostava de papéis, embora também usasse muitos papelinhos amarelos - mas acho que nunca tive um livro tão "enfeitado" como esse teu!;))
Beijinhos

3za disse...

:) suspiro.... eu ADORO papel... é vício......... Já não tenho emenda.......... Beijinhos