quinta-feira, novembro 21, 2013

O quê???

Acabei de descobrir:

Metas de ciências...
... e os programas que aparecem lá associados às ditas metas são uma completa surpresa (tive de abrir várias vezes para ter a certeza de que não se tratava de um site antigo):

3.º ciclo: nada mais nada menos que o que constava no Currículo Nacional (2001) já revogado AQUI (a palavrinha competências por todo o lado... afinal este documento do demo banido com pompa e circunstãncia volta a ter serventia?)


2.º ciclo: os que existiam antes do Currículo Nacional... também do tempo do extinto DEB (espreitem para ver se se lembram destes caderninhos de mil novecentos e carqueja).



Uma manta de retalhos sem qualquer sentido.(Ver todas as disciplinas AQUI)
Noutras disciplinas acontece o mesmo... Espreitei história, inglês e lá estava o velhinho... Espreitei Físico-Química e lá estava o Currículo Nacional (revogado há tempos)...
Só matemática e português, aparentemente, têm roupagem nova (e má, como sabemos).

Vi mesmo bem? O que se passa aqui?
Como levar a sério tudo isto... !?

2 comentários:

Teresa Pombo disse...

Parece que leste bem o que está no site da DGE mas talvez menos bem o que consta do documento da Revogação de 2011. Foram revogadas as Orientações curriculares mas não os Programas e passo a citar:
"a) O documento Currículo Nacional do Ensino Básico — Competências
Essenciais deixa de constituir documento orientador do Ensino
Básico em Portugal;
b) As orientações curriculares desse documento deixam de constituir referência para os documentos oficiais do Ministério da Educação e Ciência, nomeadamente para os programas, metas de aprendizagem,
provas e exames nacionais;
c) Os programas existentes e os seus auxiliares constituem documentos orientadores do ensino, mas as referências que neles se encontram a conceitos do documento Currículo Nacional do Ensino Básico — Competências Essenciais deixam de ser interpretados à luz do que nele é exposto;"
OU SEJA
Os programas existentes e os seus auxiliares constituem documentos orientadores do ensino mas não podem ser interpretados à luz daquelas orientações curriculares uma vez que se pretende que gradualmente o sejam à luz das novas orientações, id est, as Metas. Quanto ao caso do Português, gosto da formulação das metas,; são bastante exigentes contudo e sobretudo no atual contexto de organização escolar.
Beijos. Espero ter ajudado a acalmar o fogo! Devo acrescentar que eu SÓ trabalho com as Metas como Professora do 7.º ano e nada mais.

3za disse...

Olá
Vi esta mensagem só agora, depois de ter feito a segunda entrada... e nessa segunda cito exatamente isto (depois da primeira fui recordar o despacho e olhar para as metas) e continuo sem compreender. Sobretudo a alínea c) que me parece uma amálgama triste para quem não teve aparentemente a capacidade para fazer algo com pés e cabeça e devidamente articulado. Se era para ficar assim... para quê revogar o Currículo nacional? Desculpa lá, Teresinha, o fogo mantém-se :) Como é que se pode fazer um despacho a dizer mal das competências e depois assumir como programa um texto que está assente nelas (e que as refere a todo o momento - como em ciências naturais 3.ºc e físico-químicas - .. dizendo que não é bem para levar à letra... E, ainda por cima, quebrando a articulação curricular ao ignorar as orientações para o 2.º c - e 1.º c - que constavam no curículo nacional remetendo o programa para algo de 1991 (!) É uma manta de retalhos sim... e não é cosendo a legislação com textos que dizem para misturar isto com aquilo que a coisa se compõe.
Já as metas de matemática e programa são maus, as crianças e os professores estão em dificuldade e foi grave a interrupção de um programa que estava a dar bons frutos e que nem sequer acabara de ser implementado nem avaliado. Portanto... continuo profundamente aborrecida com isto tudo na área que me respeita (ciências e matemática) e lamento imenso o que está a ser feito... Este ano escapo-me de as dar, mas tenho de ajudar professores enquanto coordenadora e é muito complicado, garanto-te. Beijinhos