terça-feira, junho 11, 2013

História: Scratch, EduScratch... o final de um ciclo

Aqui de volta do poster para a conferência em Barcelona (que envolve o traçado da cronologia do Projeto EduScratch)... dei na internet com estas fotos preciosas de um tempo mágico de realização de um sonho: o primeiro portal de Scratch fora do MIT (em Portugal, claro!). Jantar de véspera com o Mitchel Resnick (celebrando a parceria MIT - SAPO - PT INOV) e depois, no dia seguinte, apresentação do Portal SAPO Kids e página do Scratch (com a equipa da PT Inovação que foi responsável por todo o trabalho técnico: Fausto de Carvalho, Fernando Milagaia e Norma Magalhaes e a minha Turminha GT Scratch... a primeira em Portugal a usar esta ferramenta... Lembram-se, Miúdos? Agora vocês estão bem mais crescidos!). Se estou um bocadinho nostálgica? Estou... Este ano encerrarei um ciclo que foi muito importante na minha vida pessoal e profissional, mas não me vou despedir porque será impossível não ficar ligada a este projeto para sempre! 
Que mãe deixa de se preocupar com um filhote, mesmo depois dele já saber andar sozinho? :)



2 comentários:

Eduardo Martinho disse...

A história do Scratch em Portugal deve-te muito, Miúda, porque deste tudo (do muito que há em ti) em prol de uma ideia em que acreditaste desde o início!

3za disse...

Obrigada Paizão... Já me chamaram Scratch Woman e Mãe do Scratch... e sabe bem sentir que a nossa vida e as nossas causas dão frutos bonitos... Na semana passada peguei o vírus a uma professora de uma Escola Superior de Educação na Áustria (em visita à ESE). Tudo porque visitou uma das nossas escolas em Setúbal e depois pediu para falar com alguém que fosse responsável pelo que viu os alunos fazerem... Acabei a reunir com ela duas vezes e saíu daqui, segundo disse, inspirada e pronta para espalhar a ideia na sua instituição. Adoro a escola, adoro os alunos, mas esta posição permitiu-me conhecer e chegar a milhares de alunos e centenas de professores... em Portugal e, nas atividades que desenvolvemos em projetos europeus, além fronteiras.
Enfim...
Beijinhos